Respostas Rápidas: Quais os desafios de Centeno na presidência do Eurogrupo em 2018?

Novo ano, novo presidente do Eurogrupo. No entanto, os desafios que se colocam já vêm de trás: reforçar a união bancária e avaliar os progressos dos países com programas de ajustamento estará na agenda de Centeno para 2018.

Como vai o Eurogrupo avaliar a coordenação das políticas económicas?

O Eurogrupo vai, ao longo de 2018, proceder à avaliação da implementação de reformas estruturais nos Estados-membros. O grupo composto pelos ministros das Finanças da zona euro vai garantir a monitorização dos esforços para garantir políticas orçamentais sólidas e acompanhamento da situação orçamental da área do euro no seu conjunto.

O Eurogrupo vai prosseguir a avaliação de países com programas de ajustamento?

O Eurogrupo vai continuar a acompanhar os progressos na execução do programa de ajustamento económico da Grécia, que deverá decorrer até meados de 2018. Participará também no processo de supervisão pós-programa nos países que beneficiaram de assistência financeira no passado: Chipre, Irlanda, Portugal e Espanha.

A estabilidade financeira será um tema prioritário para o Eurogrupo?

O Eurogrupo deve retomar os trabalhos que visam reforçar a união bancária. Recorde-se que, em outubro do ano passado, Valdis Dombrovskis, vice-presidente Valdis Dombrovskis da Comissão responsável pela Estabilidade Financeira, Serviços Financeiros e União dos Mercados de Capitais, reforçou que a União Bancária tem de ser concluída para que se possa aproveitar plenamente o seu potencial para tornar a União Económica e Monetária (UEM) mais estável e resistente aos choques

Os ministros das Finanças da zona euro vão dar ênfase à reforma do euro?

O aprofundamento da União Económica e Monetária vai ser um tema determinante para os ministros das Finanças da área do euro, na sequência das discussões do Eurogrupo no outono de 2017.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB