Regulador europeu ameaça fusão entre bolsas de Londres e Frankfurt

Autoridade da concorrência europeia receia que a London Stock Exchange passe a deter um quase-monopólio da negociação de obrigações, mas a bolsa londrina não está disposta a ceder às exigências.

A fusão das duas gestoras bolsistas europeias London Stock Exchange Group plc (LSEG) e Deutsche Boërse AG poderá ser travada pela Comissão Europeia. As duas gestoras negoceiam a fusão há quase um ano, mas as exigências da autoridade da concorrência poderá impedir o negócio, de acordo com um comunicado publicado pela LSEG no domingo à noite.

“A Comissão requer um desinvestimento da LSEG na MTS para autorizar a fusão”, pode ler-se na nota sobre as regras da Direção-Geral da Concorrência europeia que impõe que a bolsa londrina abdique da posição de 60% na MTS, uma plataforma de negociação de obrigações italiana. No entanto, “a LSEG considera a solução desproporcionada”, pelo que é “altamente improvável” que a venda aconteça.

As exigências acontecem porque o regulador receia que a LSEG venha a deter quase um monopólio da negociação de dívida soberana se a fusão avançar e a bolsa mantiver a participação maioritária na MTS. Apesar de não especificar as razões para não querer vender a plataforma italiana, a LSEG explicou que está em diálogo com as autoridades italianas.

A Deutsche Boërse ainda não se pronunciou sobre a exigência europeia. O negócio envolveria mais de 10 mil milhões de euros, sendo que a decisão final da entidade reguladora europeia sobre a fusão entre a LSE e a Deutsche Borse será anunciada 3 de abril.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB