Políticas monetárias americanas são principal risco económico para o mundo – Crédito y Caución

O segundo maior risco apontado pelo analistas da empresa de seguro de crédito é uma intensa desaceleração do crescimento na China.

Eleitores norte-americanos viram à esquerda

O mais recente Economic Outlook da Crédito y Caución, empresa líder em seguro de crédito interno e de exportação em Portugal, estabelece que as políticas monetárias dos Estados Unidos da América constituem o principal risco para o crescimento económico e para o desenvolviemnto do comércio mundial.

Segundo os analistas, e embora o cenário de referência seja uma política de ajuste bem orientada e direcionada pela Reserva Federal, “existe uma probabilidade moderada de que o crescimento das taxas de juros leve a que os fluxos de capital se afastem das economias emergentes, o que teria um forte impacto na economia global”.

O relatório evidencia ainda que este cenário, “dificultaria o acesso financeiro e as oportunidades de crescimento. Empresas, famílias e governos em todo o mundo enfrentarão custos financeiros mais elevados”.

O segundo risco mais importante em 2018 é uma intensa desaceleração do crescimento na China. A Administração chinesa demonstrou de forma consistente a sua capacidade e disposição para manter os objetivos de crescimento do PIB para a economia através de políticas fiscais e monetárias, o que afasta a probabilidade de uma queda repentina no crescimento económico. No entanto, “as vulnerabilidades na economia, e mais especificamente as relacionadas com o setor financeiro, continuaram a crescer em 2017. Com estes riscos agora elevados, a probabilidade de um abrandamento forçado aumentou, embora ainda seja considerada entre baixa a moderada”.

O relatório divulgado pela seguradora de crédito cita outros possíveis acontecimentos que considera mais improváveis e com menor impacto potencial na economia global. O aumento do protecionismo dos EUA e a reação dos seus parceiros comerciais, como a China, ocupam o terceiro lugar na lista dos principais riscos globais. Seguem-se a volatilidade do preço do petróleo, que teria especial impacto nas economias importadoras de crude, como a zona euro, os riscos geopolíticos, agravados no Médio Oriente e na Península da Coreia, ou uma correção brusca dos mercados financeiros.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB