PSI 20 abre com ganhos generalizados depois da subida da perspetiva do ‘rating’ de Portugal

Os investidores mostram-se confiantes no dia em que se iniciam as negociações do procedimento de saída do Reino Unido da União Europeia. Este é também um dia importante para as cotadas portuguesas, que negoceiam pela primeira vez depois da Fitch ter melhorado a notação financeira do país para "positivo".

O principal índice português abriu a sessão desta segunda-feira a negociar em terreno positivo, impulsionado pelos ganhos do setor do retalho e das energéticas. O PSI 20 segue a subir 0,51% para os 5.300,69 pontos, em linha com as subidas registadas nos mercados europeus.

O líder do setor retalista nacional (Sonae) cresce 1,18% para os 0,936  euros, acompanhada pela subida de 0,23% para os 17,815 euros da rival Jerónimo Martins. No setor energético, a Galp Energia valoriza 0,29% para os 13,625 euros, a EDP sobe 0,62% para 3,066 euros e a REN cresce 0,21% para os 2,920 euros.

A Pharol é a cotada com maiores ganhos, com uma subida de 1,67% para 0,305 euros. A seguir a tendência positiva está também a NOS (0,41%), os CTT (0,78%) e a BCP (0,88%).

Em contraciclo, as ações da Altri deslizam 0,41% para 4,350 euros, a Ibersol que desvaloriza 0,69% para os 14,400 euros e o Montepio que perde 0,19% para 0,517 euros.

Esta segunda-feira é um dia também importante para as cotadas portuguesas, que negoceiam pela primeira vez depois da Fitch ter melhorado a perspetiva financeira do país para “positiva”, dada a redução acentuada do défice e o fim do Procedimento por Défice Excessivo (PDE) formalizado nesta sexta-feira pela Comissão Europeia.

Na Europa, as congéneres europeias negoceiam otimistas depois da vitória com maioria absoluta de Emmanuel Macron nas eleições legislativas de França. O DAX, principal índice alemão, ganha 0,96%, o CAC francês sobe 0,98%, o espanhol IBEX valoriza 0,73% e a praça britânica FTSE 100 negoceia com ganhos de 0,73%.

Os investidores mostram-se confiantes no dia em que se iniciam as negociações do procedimento de saída do Reino Unido da União Europeia. Agora com maioria absoluta, a primeira-ministra Theresa May quer tentar um hard Brexit, conseguir o melhor acordo comercial e estratégico entre as duas partes. A maratona de negociações deverá prolongar-se durante os próximos dois anos.

No mercado petrolífero, o Brent perde 0,23% para os 47,26 dólares por barril e o crude cai 0,36% para os 44,81 dólares.

No mercado cambial, o euro desvaloriza 0,07% para 1,11 dólares e a libra regista ganhos de 0,06% para 1,27 dólares.



Mais notícias