PSD sobre Novo Banco: esquerda “boicota a verdade” sobre custos para os contribuintes

"Hoje, a maioria de esquerda demonstrou (mais uma vez) o desinteresse em apurar a verdade, no que diz respeito aos custos para contribuintes, sobre a venda (parcial) do Novo Banco", acusa o deputado do PSD.

António Leitão Amaro, deputado do PSD e vice-presidente da bancada social-democrata, denunciou hoje que “na reunião de uma comissão parlamentar, depois de votado e aprovado o pedido do PSD para que a UTAO apure os custos da renegociação das condições do empréstimo do Estado ao Fundo de Resolução (contraído em Agosto de 2014), as esquerdas juntaram-se e anularam a aprovação, abusando das regras regimentais e violentando a democracia parlamentar”.

“Hoje, a maioria de esquerda demonstrou (mais uma vez) o desinteresse em apurar a verdade, no que diz respeito aos custos para contribuintes, sobre a venda (parcial) do Novo Banco”, acusa o deputado do maior partido com assento parlamentar.

“Depois do PCP e BE terem votado para que a UTAO avaliasse o perdão, voltaram onde nos últimos meses têm estado, junto do PS, usando uma espécie de rolo compressor da maioria, fazendo viver a claustrofobia democrática, mas que é um sinal de doença parlamentar”, criticou o António Leitão Amaro, acusando ainda o PS de “querer impedir que os portugueses saibam o valor do perdão parcial de dívida”, diz.

“Como é que os partidos de esquerda, abusando da sua maioria, revertem aprovações já feitas e fazem-no em prejuízo do conhecimento cabal pelos portugueses da dimensão do valor do perdão de divida que o Governo fez aos bancos?”, questiona o deputado.

António Leitão Amaro disse ainda que subsiste “uma falta grave de esclarecimento sobre os termos e os custos para os contribuintes quer da ‘garantia’ [nome que dá ao mecanismo de capitalização contingente a que fica vinculado o Fundo de Resolução durante 8 anos] de 3.890 milhões à Lone Star quer sobre o perdão parcial de várias centenas de milhões de euros que o governo deu dias antes aos bancos”.

 



Mais notícias