PSD defende que novo regulamento de táxi para o Funchal não protege profissionais do setor

A vereação do PSD na Câmara Municipal do Funchal apela a que exista uma salvaguarda do atual contingente de táxis e pede à autarquia para colaborar com a Associação Industrial dos Táxis da Madeira.

Para o PSD o novo regulamento de táxis para o Funchal, que foi aprovado esta quinta-feira em reunião camarária, não protege os profissionais do sector. Os sociais democratas querem que exista uma salvaguarda do actual contingente de táxis e ainda apelam ao executivo da autarquia para colaborar com a Associação Industrial dos Táxis da Madeira (AITRAM).

“Não podemos ter um regulamento que não proteja os industriais de táxi. Não podemos ter um regulamento que possa criar concorrência nestes profissionais”, afirmou Rubina Leal, vereadora do PSD no município do Funchal, que acrescentou que o regulamento também não pode “colocar em risco o contingente de táxis” que já exista.

Rubina Leal refere que este regulamento “permite que possa existir um maior contingente e mais licenças” e que actualmente “o contingente que existe é suficiente”.

“Reservamos para a Assembleia Municipal a nossa posição final, uma vez que consideramos que este regulamento contraria o parecer da AITRAM”, anunciou a social democrata que clarificou que a abstenção do PSD se deveu “às dúvidas que o documento suscita e a falta de esclarecimentos por parte do executivo municipal”.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB