PS pede descentralização do turismo nacional

O Parlamento vai vota esta sexta-feira uma proposta do Partido Socialista que inclui três resoluções para a diversificação da oferta turística, com especial incidência no turismo de saúde e de investigação científica.

O Parlamento vai votar esta sexta-feira três resoluções apresentadas pelo PS para que o Governo adote medidas de descentralização e diversificação da oferta turística. Os três projetos têm como primeiro subscritor o vice-presidente da bancada socialista e líder do PS/Madeira, Carlos Pereira, e especial incidência no turismo de saúde e de investigação científica.

Os principais destinos turísticos de Portugal continuam a ser as regiões do Algarve, Lisboa e Madeira, segundo as últimas estatísticas do turismo publicadas pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), uma tendência que é usada pelo PS como base de fundamentação para as propostas. O partido considera “imperioso adotar medidas que alarguem a procura turística a todo o território nacional, designadamente aos territórios do interior do país e de baixa densidade populacional”, como se pode ler na introdução do primeiro dos três projetos.

“Tendo em conta a atual contribuição do turismo para a criação de emprego e de riqueza no país, o PS entende que o Governo está no bom caminho, sobretudo após tomar medidas importantes como a redução do IVA da restauração ou o reforço da formação profissional, que antes se encontrava parada”, explicou Carlos Pereira, em declarações à agência Lusa.

“Mas entendemos, também, que é possível potenciar o ‘cluster’ do turismo e trabalhar algumas áreas específicas nos próximos tempos”. O líder do PS/Madeira afirmou ainda que os diplomas não constituem uma crítica ao Governo ou ao Plano Estratégico Nacional do Turismo, mas pretendem contribuir para a “densificação” do plano.

O PS lembra que é cada vez mais frequente que investigadores científicos, estudantes, quadros de várias áreas procurem outros países para realizar pesquisas, o que poderá ser aproveitado por Portugal.

“De modo a potenciar a procura deste tipo de turismo para o país, é importante compreender que o nível de inovação e desenvolvimento de Portugal, a qualidade das instituições de ensino, a sua reputação em termos de indicadores internacionais, a existência de património natural rico e diversificado e a existência de infraestruturas de interpretação e de Investigação e Desenvolvimento, entre outros, é determinante para a respetiva escolha”, refere a resolução do PS.



Mais notícias