Projeto de 6 milhões usa medusas para limpar o mar dos microplásticos

GoJelly - A gelatinous solution to plastic pollution’ vai também converter as 'águas-vivas' em matéria-prima para as indústrias alimentar, medicinal e química.

GoJelly – A gelatinous solution to plastic pollution’. Este é o projeto avaliado em 6 milhões de euros que tem como desafio limpar os oceanos dos microplásticos, com recurso a medusas, vulgarmente conhecidas por águas vivas. Trata-se da primeira participação da Madeira na área da Economia Azul do Programa Horizonte 2020.

O objetivo passa por desenvolver uma solução gelatinosa, processada através de matéria-prima proveniente de medusas  que servirá depois  de filtro aos microplásticos na operação de limpeza aos oceanos.

As águas-vivas, muitas delas espécies invasoras, serão ainda convertidas em matéria-prima para as indústrias alimentar, medicinal  e química, uma vertente que suscitou um investimento regional da ordem dos 400 mil euros.

GoJelly é liderado em Portugal pelos investigadores do OOM, Carlos Andrade e João Canning Clode que trabalham nas áreas de aquacultura e ecologia. De destacar também as parcerias com o  Observatório Oceânico da Madeira (OOM), a unidade de investigação da Agência Regional para o Desenvolvimento da Investigação, Tecnologia e Inovação (ARDITI) e um consórcio de 15 parceiros internacionais que inclui países como a Alemanha, a Noruega, a Itália, a França, a Eslovénia, Israel e China.



Mais notícias