Produtores de cerveja estão “chocados” com a subida do imposto sobre o álcool

A taxa sobre a cerveja, as bebidas espirituosas e os vinhos licorosos vai voltar a subir em 2018, em torno de 1,5%. A Associação Portuguesa de Produtores Cerveja critica a "insensibilidade do Governo perante um setor que contribui com mais de 1 bilião de euros para o VAB nacional".

O imposto sobre a cerveja, as bebidas espirituosas e os vinhos licorosos vai voltar a subir, em torno de 1,5%, no próximo ano. A Associação Portuguesa de Produtores Cerveja (APVC) reagiu ao aumento da taxa sobre estas bebida e critica a “insensibilidade do Governo perante um setor que contribui com mais de 1 bilião de euros para o VAB nacional”.

“O setor cervejeiro nacional manifesta-se chocado com as notícias divulgadas de um aumento do imposto do álcool que incide de igual modo sobre a cerveja e sobre as espirituosas, deixando o imposto sobre o vinho inalterado”, disse o secretário Geral da APVC, Francisco Girio.

Ainda que o acréscimo tenha sido inferior ao que constava da proposta preliminar do Orçamento do Estado para 2018 (OE2018), quando se falava numa subida de 3%, as cervejeiras não estão contentes com a ‘discriminação’ entre estas diferentes bebidas álcoolicas. “Este aumento é especialmente grave para o setor cervejeiro pois afeta todos produtores, incluindo os artesanais e microcervejeiros, que procuram consolidar o seu negócio e são profundamente penalizados com este aumento”, argumenta o porta-voz da associação.

Os produtores de cervejeira sentem uma “enorme frustação” perante a insensibilidade do Governo para com “um setor que contribui com mais de 1 bilião de euros para o VAB nacional, que exporta mais de 250 milhões de euros e que gera mais de 60 mil empregos diretos e indiretos”. A seu ver, o Executivo está a equipará-los ao setor das bebidas espirituosas “que, genericamente, é um setor  que não possui uma cadeia de valor significativa no país, nem contribui para o emprego nacional”.

Segundo uma versão preliminar da proposta de OE2018, e datada de 10 de outubro, a que a agência Lusa teve acesso, as cervejas vão passar a pagar um imposto que começa nos 8,34 euros por hectolitro para os volumes de álcool mais baixos e que vai até aos 29,30 euros por hectolitro no caso dos volumes de álcool mais elevados. Com a entrada em vigor do Orçamento do Estado de 2017, o imposto aplicado às cervejas começava nos 8,22 euros e ia até aos 28,90 euros por hectolitro, o que significa que, no próximo ano, o Governo quer aumentar imposto sobre a cerveja em cerca de 1,5%.



Mais notícias