Procura internacional de casas em Portugal multiplicou-se por cinco no primeiro trimestre

O Brasil, EUA, França, Reino Unido e Suíça, respetivamente, são os países onde esta procura "intensa"mais se manifesta. Destes, os EUA foram o mercado que registou um maior crescimento.

A procura internacional por casas em Portugal, no primeiro trimestre deste ano, quintuplicou, comparativamente com o trimestre homólogo do ano passado.  As visitas do exterior ao site imobiliário Imovirtual.com, mostram que o tráfego internacional disparou 414%, quando comprado com o período homólogo, traduzindo-se em 1,5 milhões de visitas, e representando já 15% das visitas realizadas à plataforma, avança agora portal imobiliário.

O Brasil, EUA, França, Reino Unido e Suíça, respetivamente, são os países onde essa procura se manifesta mais. Destes, os Estados Unidos foi o mercado que registou um maior crescimento de visitas no portal face aos primeiros três meses do ano passado, apresentando um crescimento de 231%, seguido do Brasil que progrediu 71% e o Reino Unido que subiu 31%.

No Brasil, os Estados que têm demonstrado um maior interesse e procura por viver em Portugal são, respetivamente, São Paulo (30%), Rio (25%) e Minas Gerais (7,5%) e a procura incide maioritariamente por apartamentos nos concelhos de Lisboa e Cascais e moradias nos concelhos de Braga, Porto e Vila Nova de Gaia, respetivamente. No geral, a tipologia T2 é a mais procurada, seja na pesquisa de imóveis para arrendamento ou para venda.

A plataforma dá também nota, em comunicado, que as visitas domésticas ao Imovirtual em Portugal, que representam 85% do total, registaram um aumento de 10,37% no primeiro trimestre do ano, comparativamente com o mesmo período do ano passado, demonstrando que o mercado doméstico continua bastante dinâmico e com uma tendência crescente.

Sobre a evolução recente deste mercado, Cláudia Gomes, responsável pelo Imovirtual, acrescenta ainda que apesar de a procura internacional ter vindo a sustentar e a dinamizar o mercado imobiliário, nos últimos anos, registou-se “uma nova dinâmica nos três primeiros meses do ano, demonstrando que o interesse e a procura de investimento internacional em Portugal está a aumentar e além dos países que já vínhamos a ter registo, destaca-se agora os EUA, o que abre novas oportunidades para o mercado e em particular para os agentes portugueses”.

 




Mais notícias
PUB
PUB
PUB