Principal acionista dos CTT reforça participação para 11% do capital

A empresa Gestmin, em que o administrador não executivo dos CTT João Pereira Bento é vice-presidente, adquiriu um total de 1,19 milhões de ações da operadora postal, logo a seguir à apresentação do plano de reestruturação.

Rafael Marchante/Reuters

A Gestmin SGPS reforçou a posição nos CTT – Correios de Portugal, passando a deter 11,01% do capital social e dos direitos de voto da operadora postal, segundo informações enviadas esta quarta-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). O anúncio foi feito no mesmo dia em que a agência Bloomberg noticiou que um bloco de 863,513 títulos dos CTT negociaram esta manhã em bolsa a 3,53 euros por ação.

A empresa Gestmin, em que o o administrador não executivo dos CTT João Pereira Bento é vice-presidente, adquiriu um total de 1,19 milhões de ações da operadora postal. As aquisições foram efetuadas em quatro conjuntos de transações, três das quais em nome da empresa e a quarta em nome de Pereira Bento.

As operações foram realizadas entre 20 e 22 dezembro, ou seja, logo a seguir à apresentação do plano de reestruturação dos CTT.

O comunicado enviado à CMVM imputa ainda ao grupo liderado por Manuel Champalimaud ações compradas por corpos dirigentes da Gestmin, elevando a participação para 11,26%. São ações detidas pelo próprio Manuel Champalimaud (presidente da Gestmin), pelos seus filhos Duarte e Tomás e por outros administradores da Gestmin, incluindo João Bento.

Para implementar o Plano de Transformação Operacional, nos próximos dois anos (2018-2019), os CTT vão criar um Comité de Monitorização da Implementação que vai fiscalizar e garantir que as medidas definidas no plano vão mesmo ser implementadas.

Esse Comité será liderado pelo Presidente do Conselho de Administração – Francisco Lacerda e integrará mais quatro administradores não executivos: três independentes e João Pereira Bento como representante da Gestmin. Assim, o acionista vai ter um envolvimento contínuo na execução do plano de reestruturação que pretende ser a reinvenção da atividade dos CTT.

Desde o início de novembro, o valor das ações dos CTT em bolsa tem caído a pique. No entanto, esta quarta-feira, dia de baixo volume de negociações, os CTT estiveram em destaque depois da venda de 863,513 ações, correspondente a 0,7% do capital disperso em bolsa.

O bloco, com um valor de mercado de 3,05 milhões de euros, foi transacionado às 09h02 e representou 46% da média do volume negociado em bolsa dos últimos 20 dias. As ações dos CTT fecharam a sessão no PSI 20  a subir 0,28% para 3,55 euros.

(atualizada)






Mais notícias
PUB
PUB
PUB