Presidente do Governo anuncia alargamento da Festa da Flor para quatro semanas

O presidente do Governo disse esta manhã no Funchal, na abertura da 11.ª Conferência Anual do Turismo, que a Festa da Flor vai ser prolongada para quatro semanas, já em 2018, em lugar das três semanas da edição deste ano.

Neste quadro, admitiu que no quarto domingo o cortejo alegórico, que é o momento alto do evento, venha a ter uma segunda edição. Festa da Flor que era inicialmente de uma semana, passou para duas e, este ano estendeu-se por três semanas.

Miguel Albuquerque justificou esta aposta por entender que a Madeira tem de aproveitar a taxa de ocupação que é de 90% no período da Festa da Flor e “para podermos continuar a consubstanciar uma oferta de qualidade para o destino”. Evidenciou que “é preciso garantir a qualidade”, mas disse estar seguro que essa qualidade se manterá, porque “mudar os tapetes de flores não é nenhuma fortuna, assim como não o é renovar a exposição”.

O governante disse que o Governo Regional está a abrir o concurso para aperfeiçoar a marca Madeira e reconheceu que toda a gente já tem um ideia do que é a marca Madeira. No entanto, considerou que “aquilo que temos de melhor e de mais autêntico é resultado da ação das pessoas. Dos madeirenses e portosantenses”, como seja a “paisagem humanizada, as levadas, os poios, a hospitalidade, o serviço, que resulta da acção da população ao longo de gerações”. Por isso, considera que na conceção da nova marca “é fundamental as pessoas, os locais, se sintam representadas nessa marca. Isto porque a essência do turismo continua a ser as pessoas e a capacidade de relacionamento das pessoas e dos povos entre si”.

Lembrou ainda que a Madeira teve cerca de 70 problemas nos percursos das levadas da Madeira com turistas pelo que considera ser muito importante que o destino tenha capacidade de assegurar que “os nossos turistas têm segurança quando fazem as levadas”.

Mais notícias
PUB
PUB
PUB