Presidente da RTP diz que momento de eventuais ajustes “ainda não chegou”

"Eventuais ajustes em direções, de conteúdos e não só", serão "sempre tratadas com toda a ponderação, no devido momento, que ainda não chegou, e cumprindo os procedimentos adequados", disse Gonçalo Reis, à agência Lusa.

O presidente da RTP disse esta quinta-feira à Lusa que “eventuais ajustes em direções, de conteúdos e não só”, serão “sempre tratadas com toda a ponderação, no devido momento, que ainda não chegou, e cumprindo os procedimentos adequados”.

A Comissão de Trabalhadores (CT) da RTP exigiu hoje à administração “um imediato e cabal esclarecimento público” sobre as notícias que dão conta da eventual exoneração do diretor de informação da televisão, Paulo Dentinho.

Questionado sobre o tema pela Lusa, o presidente do Conselho de Administração da RTP, Gonçalo Reis, afirmou: “Cada coisa a seu tempo, estamos a finalizar a constituição da administração, estamos a ultimar o Projeto Estratégico que responde aos desafios colocados pelo CGI [Conselho Geral Independente], para a equipa de gestão completa iniciar o mandato 2018-20”.

O gestor sublinhou que “eventuais ajustes em direções, de conteúdos e não só, consideradas relevantes para a concretização de uma nova ambição para a RTP, serão sempre tratadas com toda a ponderação, no devido momento, que ainda não chegou, e cumprindo os procedimentos adequados”.

Sobre os nomes que se falam para as direções da televisão, Gonçalo Reis escusou-se a fazer comentários.

“Obviamente não comento as hipóteses que circulam, mas registo que não é inédito haver expectativa acerca de funções relevantes”, afirmou.

“O ponto fundamental é que cada área da empresa atue numa lógica de qualidade e diferenciação e que a RTP consiga aproveitar da melhor forma todas as capacidades dos seus profissionais, reunindo com espírito aberto o melhor talento nacional no setor dos media”, disse, acrescentando que “essa é a tradição da RTP e vai continuar: grandes equipas para grandes desafios”.

No comunicado da CT, a que a Lusa teve hoje acesso, o órgão sublinhava que “as notícias sobre a destituição do diretor de informação da televisão, sem o seu conhecimento, através de uma notícia de jornal, carecem de um imediato e cabal esclarecimento público por parte da supervisão, tutela da RTP e principalmente por parte do senhor presidente da administração”, Gonçalo Reis.

Questionado na quinta-feira no parlamento pelo deputado Jorge Campos, do Bloco de Esquerda, o ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, disse que “não se confirma a demissão do diretor da RTP”.

A informação, da saída de Paulo Dentinho da direção de informação da RTP, “é falsa e não se confirma”, afirmou o ministro.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB