Presidenciais francesas: Mélenchon venceria a Fillon se disputassem entre si uma segunda volta

Entre as características do comunista que mais motivam o voto do eleitorado estão a sua "honestidade" e a "capacidade de trazer novas ideias". Jean-Luc Mélenchon recolhe 66% das intenções de voto contra 34% de François Fillon.

Lionel Bonaventure/REUTERS

A três dias da primeira volta nas eleições presidenciais francesas, as sondagens continuam a dar vitória ao candidato centrista, Emmanuel Macron, à frente da candidata de extrema-direita, Marine Le Pen. Surpresa, são os resultados da última sondagem feita pela Harris Interactive que indicam que se a segunda volta fosse disputada entre o candidato de extrema-esquerda, Jean-Luc Mélenchon, e o candidato de direita, François Fillon, o comunista levaria a melhor com 58% dos votos.

As sondagens mostram que, neste momento, quatro candidatos conseguem reunir intenções de voto suficientes para conseguirem disputar uma segunda volta, agendada para dia 7 de maio. São eles a candidata de extrema-direita Marine Le Pen, o candidato centrista Emmanuel Macron, o comunista Jean-Luc Mélenchon e o candidato conservador François Fillon. A possibilidade de a segunda volta vir a ser disputada a quatro é algo inédito na história da política francesa e está a surpreender aos analistas.

Sem grandes reviravoltas, Marine Le Pen e Emmanuel Macron continuam a liderar as intenções de voto embora a margem de diferença entre eles seja ainda pouco significativa. O centrista, que nunca disputou eleições mas pode ser agora o próximo presidente da França, recolhe 25% das intenções de voto contra 23% da candidata de extrema-direita.

A pouca distância nas intenções de voto surgem Jean-Luc Mélenchon e François Fillon, que reunem ambos 19%. Para trás fica o candidato socialista Benoît Hamon, que não consegue ir além dos 7,5%.

Um dado interessante desta sondagem é que, se a segunda volta fosse disputada entre Jean-Luc Mélenchon e François Fillon, o mais provável era que o vencedor fosse Jean-Luc Mélenchon, que consegueria 66% dos votos contra 34%. A contribuir para este cenário está a descolagem do candidato de extrema-esquerda nas semanas que se seguiram ao primeiro debate televisivo entre os cinco candidatos com mais probabilidade de virem a ocupar o Palácio do Eliseu.

Desde o início do ano, Mélenchon recolheu mais 1,8 a dois milhões de intenções de votos, beneficiado pela perda de credibilidade da direita de François Fillon, cuja campanha tem sido abalado por vários escândalos sobre desvios de fundos públicos. Entre as características do comunista que mais motivam o voto do eleitorado estão a sua “honestidade” e a “capacidade de trazer novas ideias”.

Ainda assim, numa segunda volta, Emmanuel Macron venceria qualquer um dos quarto candidatos favoritos às presidenciais. Se o adversário fosse Marine Le Pen, Macron conseguiria 66% contra 34%, François Fillon, 68% contra 32%, ou Jean -Luc Mélenchon, 60% contra 40%.

Mais notícias