Portugal entre os países com mais trabalhadores precários

Os contratos com termo e outras situações semelhantes representavam, no segundo trimestre de 2016, 22,6% de todos os trabalhadores por conta de outrem, em Portugal, em comparação com a média de 14% na Europa.

Reuters

Portugal está entre os países da Europa com mais trabalhadores precários, segundo o relatório do grupo de trabalho criado pelo PS, Bloco de Esquerda e Governo, a que a TSF teve acesso. O documento, que irá servir de base para um Plano Nacional contra a Precariedade, ressalva que “Portugal apresenta uma elevada incidência de contratos não permanentes na comparação com a União Europeia”.

Os contratos com termo e outras situações semelhantes representavam, no segundo trimestre de 2016, 22,6% de todos os trabalhadores por conta de outrem, em Portugal. Já a média europeia fica abaixo deste valor, nos 14%. “Os contratos não permanentes têm associados maiores níveis de instabilidade e de insegurança laboral”, salienta o relatório, segundo a TSF.

Os jovens são os mais afetados pela situação. No mesmo período, os contratos com termo e outras situações semelhantes aumentaram 4,9%, o que compara com uma subida dos contratos sem termo de 0,8%. Somente um em cada cinco dos novos contratos são permanentes, cerca de 20% são contratos de curta duração (menos de 60 dias) e os trabalhadores precários ganham menos do que os com contrato sem termo, concluiu ainda o grupo.

 



Mais notícias
PUB
PUB
PUB