Portugal caiu 13 posições no Índice de Liberdade Económica porque reformas “perderam impulso”

A economia nacional desceu no ranking da liberdade económica, mas continua acima da média mundial. O ritmo das reformas no país e o sistema bancário estão entre os problemas identificados.

bandeira-portugal

Portugal recuou 13 posições no Índice de Liberdade Económica de 2017 e está agora no 77º lugar, de acordo com o relatório anual da Fundação Heritage. A diminuição da liberdade económica medida pelo índice é justificada por desafios que exigem um ajuste urgente da política económica e reformas que perderam impulso.

“Portugal continua a enfrentar desafios que exigem um ajuste urgente da política económica. As reformas anteriores, que ajudaram a modificar e diversificar a base produtiva da economia, perderam impulso”, refere o relatório que analisou este ano 186 economias do mundo. Os dados foram divulgados na quarta-feira pela fundação sediada em Washington, nos Estados Unidos, e citados pela agência “Lusa”.

A economia portuguesa é classificada como moderadamente livre, com 62,6 pontos. Isto significa uma diminuição de 2,5 pontos em relação a 2016, ano em que Portugal ocupava a 64ª posição. Apesar da descida, Portugal fica acima da média mundial, que é de 60,9 pontos e é a mais alta registada nos 23 anos de história do Índice.

“Apesar dos sólidos contextos institucionais, como um quadro empresarial eficiente e um sistema judicial independente, o setor público endividado e ineficiente desgastou o dinamismo do setor privado e reduziu a competitividade global da economia”, explica o relatório sobre Portugal.

“As prioridades da reforma incluem a redução dos défices orçamentais que elevaram o nível da dívida pública a mais de 100% do PIB e aumentaram a flexibilidade do mercado de trabalho. No entanto, o ritmo da reforma diminuiu. O sistema bancário continua fraco”, acrescenta.

  • Born in 1960

    Um ranking neoliberal. Onde se apela ao trabalho sem qualquer proteção.

    • José Sousa

      “o setor público endividado e ineficiente desgastou o dinamismo do setor privado e reduziu a competitividade global da economia”. Leu a noticia ou só o titulo?

      • Born in 1960

        Se lesse só a notícia ficava a saber menos. Por isso trata-se de um ranking neoliberal.

        • José Sousa

          Neoliberal porque não está alinhado com as directrizes do comité central do PCP? Abre a pestana homem! O mais cego é aquele que não quer ver. Há mais vida para além da politica e doutrinas.

          • Born in 1960

            Não está alinhado com as diretrizes do trabalho na Alemanha. Isso sim. Qual PCP qual carapuça.

          • José Sousa

            https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_political_parties_in_Germany
            Qual esquerda que governa ou governou nos últimos anos na Alemanha? A maioria dos partidos na Alemanha são mais orientados para a direita que para a esquerda!
            Merkl- Centro direita
            Schröder – Centro esquerda
            E tem sido a CDU e SPD que têm governado a Alemanha desde os anos 70, tal como tem sido o PSD e PS cá.
            Logo, não existe nenhum governo de verdadeira esquerda na Alemanha, como disse.
            Se esteve na Alemanha estes anos, então nunca percebeu nada da politica que lá se passava.
            A cultura do trabalho e atitudes dos alemães é que é muito diferente da nossa!

          • Born in 1960

            O que não existe na Alemanha é um governo neoliberal. Porque se assim fosse o Estado alemão já tinha vendido as suas empresas e as participações que tem em empresas, muitas delas multinacionais. Ou seja na Alemanha trata-se de um regime de Centro de direita ou de esquerda.

          • José Sousa

            Ainda não parou de desdizer-se, enfim….
            Não entendi o que o referido ranking da noticia tem a haver com um verdadeiro governo de esquerda. E qual governo neoliberal que se refere. A verdadeira esquerda europeia está sim a entregar de bandeja a governação a possíveis extremistas. Tudo por culpa dela própria.
            Passar bem.

          • Born in 1960

            Sempre afirmei que se trata de um ranking neoliberal. Nada mais. Tanto a esquerda europeia como a direita europeia estão a entregar a governação a extremistas, tudo porque não souberam proteger os seus povos, a Europa. E ainda têm a lata de criticar Trump.

  • MachoAlfa

    E cada vez mais terá de descer no índice de liberdade económica pois só assim será possível alavancar a economia portuguesa

    • justo

      Idiota!!

      • Pereira

        mesmo… :)

  • Atento II

    Eis a contradição entre o que dizem os números e o que diz a geringonça.
    Conversa fiada não altera os factos.
    Mentir não disfarça a realidade; só agrava!

    • justo

      Andam iludidos. este desgoverno é bom nisso. Ainda há gente muito atrasada em Portugal!

      • António Candeias

        Se fosse só este Governo, mas já há mais de 40 anos quue todos são muito bons na mentira, na arte de bem se governarem, aí têm sido os melhores.

    • ANONIMO

      O índice de “liberdade” económica, é uma medição que não tem nada a ver com liberdade ou democracia. É um índice que mede a implementação da visão neoliberal na economia, e que disfarça o objetivo principal “medindo” também outras coisas mais universais, só para passar a ideia (ERRADA) que se trata de um índice de liberdade.

      Qualquer país que se atreva a aumentar salário mínimo, distribuir melhor a riqueza produzida pela economia, ter carga fiscal progressiva, medidas keynesianas para a economia para promover o pleno emprego, intervenção
      do estado nos sectores fundamentais (educação, saúde, segurança social), reforço da capacidade negocial dos empregados (ex: contratação coletiva, combate à precariedade), etc, apesar de estar a melhorar (MUITO) a vida dos seus cidadãos, correrá sempre o risco de descer neste ranking.

      O ranking diz que descemos 2.5 pontos (de 65.1 para 62.6) em 2016 porque se interrompeu o “reformismo” por iniciativa governamental, MAS que reformas são estas? É simples. Sempre que alguém critica um governo pela falta de reformas, sem especificar quais, essa pessoa ou organização está a falar numa só coisa: EMPOBRECIMENTO dos trabalhadores.

      “Ah e tal há países ricos no top”. Pois há, são os países onde essa riqueza vinha de trás, dos tempos do Keynesianismo, e onde hoje em dia o empobrecimento da classe média tem sido de tal ordem, que as pessoas desesperadas começaram a votar nos extremistas, ora à esquerda ora à direita. Nos EUA o salário mínimo está nos 7.5 $/hora, isto dá 1200 $/mês antes de impostos e em muitas zonas dos EUA, mal dá para pagar a renda e as despesas básicas! O endividamento das famílias americanas é um dos mais elevados do Mundo. E na Alemanha, um dos países mais ricos, a taxa de pobreza ultrapassa os 20% da população!

      • Atento II

        Exactamente ó mentiroso acabado de entrar de serviço!
        E os indivíduos que fazem esse ranking também desvalorizam os países com cidadãos com QI acima da média, não é?
        Vai à ponte e atira-te!
        Believe, you can fly!

    • ANONIMO

      Quanto ao desempenho da Geringonça, vamos a FACTOS:

      MENOS 0.6% do PIB = primeira descida da dívida líquida (sem depósitos) desde 2007

      2.1% do PIB = défice mais baixo de sempre, e no máximo de 2.6% retirando medidas extraordinárias

      +1.9% = crescimento Real da economia em 2016, que compara com os 1.35% durante 2015
      (não confundir este crescimento nos 12 meses do ano, com a outra medida que calcula a média e que tem em conta dados do ano em causa e do ano anterior, que foi 1.6% em 2015 e será 1.4% em 2016)

      557 € = salário mínimo nacional, que seria ainda de apenas 530 € caso o governo fosse outro

      +6.5% = crescimento do investimento empresarial em 2016

      • Atento II

        Vai à ponte e atira-te!
        Believe, you can fly!

  • Cipião Numantino da Boina,

    Basta passarmos o S.M.N. para 380 Euros, e jornada laboral de 12 horas por dia, com descanso ao domingo para ir à missa.
    E rapidamente passamos para os dez primeiros lugares.

    • Pereira

      Engraçado é ver países onde a generalidade da população vive bem e até se trabalha menos horas que nós e estão no top 10.

      https://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%8Dndice_de_Liberdade_Econ%C3%B4mica
      Vendo a lista até nem é assim tão mau estar em lugares superiores tendo em conta que por exemplo a Irlanda está no top 10, já nem falo na Suiça para não ter a desculpa de dizer que está fora da UE…

      Mais que provado que mais liberdade económica traz mais benefícios a população em geral. Mas o estado é gordo demais para abdicar disso. Viva o Socialismo (gozo)!

      • Cipião Numantino da Boina,

        Gozo é acreditar que alguém como você, acredita que o que eu escrevi a gozar com gajos como você, é a saída.
        Viva o obscurantismo e os defensores da escravatura.(GOZO)

        • Pereira

          A verdade é que a noticia não tem conteúdo nenhum para brincadeiras, mas já vi que o senhor anda cá muitos dias a comentar sempre do mesmo tom e sem nexo. Certo é que não tenho mais pachorra para as suas barbaridades. Podia passar a tarde a tentar fazê-lo entender que o seu governo está a fazer mal ao país. Mas não me apetece perder o meu precioso tempo… Um resto de bom dia para si.

          • Cipião Numantino da Boina,

            Olhe aproveite o sol e a alegria de viver, agora que nos vimos livres do cinzentismo e exploração do jugo pafioso, só nos resta apreciar os resultados e rir do seu ressabiamento.
            Sorria às vezes um sorriso vale mais que um bom almoço. (GOZO)

          • Pereira

            Obrigado e igualmente ;)

          • Cipião Numantino da Boina,

            (ingalmente) para si.

          • mvmvmv2

            Eu aconselho o mesmo ao senhor: aproveite o sol e a alegria de viver, agora que nos vimos livres da troika de Sócrates, só nos resta apreciar os
            resultados e rir do seu ressabiamento.
            Sorria às vezes um sorriso vale mais que um bom almoço. (GOZO)

      • 00SEVEN

        Mas também é preciso perceber que trabalhar é muito diferente do que estar no local de trabalho ou a tomar bicas!

        • Pereira

          Concordo e bem visto. Mas isso daria conversa para muito tempo… ;)

          • justo

            A começar pelas sras. da segurança social de Leiria!

      • ANONIMO

        O tal estado (que só os idiotas vêm como inimigo, em vez de perceberem que o verdadeiro inimigo é o poder financeiro que quer acumular riqueza à custa da desgraça alheia e da falta de controlo do estado) é muito mais “gordo”, para o citar, nesses países do top do que em Portugal.

        A diferença é que a economia paralela nesses países é menor, logo há impostos suficientes para cobrir as despesas sem ter défice.

        E quer no topo, quer no fim da lista, há sempre lado a lado, ora países com muito estado, ora países com pouco estado. Não é isso que faz portanto a diferença.

        O que faz a diferença entre estar no topo ou não, é a capacidade da economia (ou seja, a qualidade dos gestores das empresas, a criação de bons produtos com valor acrescentado), e a capacidade dos eleitores (ou seja, se andam informados, se votam em quem merece em vez de votarem sempre nos mesmos, se pagam os seus impostos, se são participantes activos na sociedade civil).

        Portugal, salvo algumas exceções, não tem nada disto!!! Portanto a única diferença que fará o estado mais gordo ou mais magro, é a forma como a exagerada percentagem de pobres será tratada: com saúde, educação e segurança social (o tal “estado gordo”), ou deixados à sua mercê como nos países sub-desenvolvidos (o tal “estado magro”).

    • Born in 1960

      Teorias neoliberais que o anterior governo tentou implementar.

      • Pereira

        Veja la que o anterior governo queria tanto baixar o S.M.N que até o aumentou durante a legislatura.

        • Born in 1960

          Quanto é que aumentou? E quanto é que já aumentou este?

          • justo

            Um tacanho desse tamanho é perda de tempo ensinar. será o mesmo governar um país na bancarrota ou um país nivelado e organizado. Metem nojo comunistas malandros.

          • Born in 1960

            O que está a dar é nivelar por baixo. Teorias neoliberais.

          • justo

            Não tem argumentos já percebi. Muitos comentadores aqui fazem isso.

          • Born in 1960

            Argumentos? Viver a realidade e conhecer o que está por trás da mesma, sem esperar pelo que dizem os jornais.

          • justo

            Qual é a realidade do país quando o Socrates saíu???

          • Pereira

            Cada um dá o que pode, mas há outros dão o que não podem. Espero mesmo estar errado no fim disto tudo para o bem de todos…

          • Born in 1960

            O anterior não deu mais porque rasgou os acordos assinados e acabou por dar uma esmola em ano de eleições. Este já começou a restabelecer a justiça salarial no smn.

          • justo

            A sua resposta está por baixo cara!

      • justo

        Xulo mamaão nem defender sabes sem acusares quem te matou a fome ao tirar.te da bancarrota. arrogantes.

        • Born in 1960

          Passei por todas as crises financeiras desde 1974. Esta foi a única que vi empobrecer um país, quando cá tinhamos ajuda externa.

          • justo

            Como acha que se tira um país da bancarrota, sem tomar medidas drasticas para os portugueses??? Mas só responda se souber, senão é melhor ficar calado!

          • Born in 1960

            Como se fez noutras crises. Ou acha que a crise de 2008 só afetou Portugal?

          • justo

            Não tem comparação! Outros tempos. Ficou parado no tempo, já tinha percebido!

          • Born in 1960

            Você é que parou. Nunca conheceu outras crises, nem como elas foram resolvidas, mesmo noutros países. Pois só falam em bancarrota, para isso, a crise de 2008 das dívidas soberanas, deveria passar a chamar-se crise da bancarrota europeia, pois afetou todos os países.

          • justo

            Nada comparada com a portuguesa! Com a crise teria sido mais fácil o ladrão do socrates e amigos faliram com PortugaL . e VOLTO A PERGUNTAR COMO ACHA QUE UM GOVERNO DEVIA FAZER DE DIFERENTE PARA TIRAR PORTUGAL DA CRISE? Coisa que este Bosta não enfrentou!

          • Born in 1960

            resolvendo os problemas que afetaram Portugal, da mesma forma que afetaram outros países. Em vez de perseguir trabalhadores e pensionistas. Veja-se a Espanha e a Irlanda.

          • Pereira

            Se fosse assim tão fácil já tinha-mos saído da crise e da banca rota e de tudo isso… O problema é que pelo caminho há quem alimente populismos em vez de nos levar a bom porto. Acorde..

          • Born in 1960

            Passei todas as crises financeiras de Portugal, internas e internacionais. Por isso esta não foi resolvida com a Troika por incompetência de quem esteve à frente do país.

          • mvmvmv2

            Só afectou as contas públicas portuguesas e gregas ao ponto de ser necessário o resgate. A diferença para os outros países, é que nós tivemos um Sócrates como PM…

          • Born in 1960

            Não. Por esse ponto de vista, Sócrates foi o responsável pela crise que afetou todos os países, pois todos viram as suas dividas crescerem.

          • mvmvmv2

            Claro que não foi: os outros governantes endividaram-se de forma responsável e o aumento da dívida não levou a ser necessário o resgate. Perceba a diferença: o Portugal de Sócrates e a Grécia foram resgatados pelas contas públicas. Os outros NÃO!

          • Born in 1960

            Bancarrota? Estará a falar da última que aconteceu em 1892 e acabou de ser paga no final do sec. XX.

          • Born in 1960

            Com incentivos ao investimento, aproveitando as ajudas, para emprestar a juros baixissimos, em investimentos de retorno absoluto, como já se fez. Eu já fui beneficiado com esta medida numa das crises financeiras de Portugal, depois de 1974.

          • justo

            Crise é uma coisa. ter o país na bancarrota é outra amigo. não confunda as coisas!

          • Born in 1960

            Mas porque é que nenhuma instituição financeira estrangeira classificou a crise, como bancarrota, mas sim das dívidas soberanas?

          • mvmvmv2

            Essa dos incentivos ao investimento (mais gastos ou menos receitas do Estado) foi experimentado por Sócrates. E em vez de resolver, piorou a situação!

          • Born in 1960

            Essa experiência que fala, foi mais da UE. Em Portugal já foi utilizada outra versão e resultou, ainda hoje ganho dinheiro, sem dever nada a ninguém, pelas ajudas ao investimento numa das vindas do FMI.

          • mvmvmv2

            A UE, erradamente, aconselhou que os países gastassem mais. Uns gastaram o que podiam, os gregos e o governo de Sócrates gastaram o que não podiam e o resgate foi a consequência…

      • Cipião Numantino da Boina,

        Para gozo dos neo-liberais de pacotilha cá do burgo.

  • Revoltado

    Ao ler esta noticia fica-me a ideia de que já sei de onde partiu ela?…risos…mais do mesmo…mas eles não vão embora….continuam escondidos a lançar bacoradas para ver se pega…eu quero vê-los é eles partirem de vez para longe onde eu nunca mais os veja….porque eu ate pela escrita sei quem está por detrás….são muitos anos…..já lido com estes esquemas e falcatruas há mais de 60 anos que eu os conheço a todos…por isso não fiquei surpreendido com uma revolução feita a cravos…só faltou a canela…..velhacos…

  • O manjerico.

    Estes índices são feitos por tecnocratas fascistas.

    Não têm credibilidade.

  • QuartaClasse

    “perderam impulso”?
    Foram anuladas!
    A geringonça retrógrada fez o país regredir uma década.