Portagens na Via do Infante vão manter-se: Socialistas vetam propostas da esquerda

Projetos de resolução do PCP, BE e PEV para a abolição das portagens na A22 bem como os do PSD e CDS-PP, pela sua suspensão ou a diminuição até à conclusão das obras na Estrada Nacional 125, foram chumbados.

Os projetos de resolução apresentados pelo PCP, Bloco de Esquerda (BE) e o partido Ecologista “Os Verdes”(PEV) foram chumbados pelo PS, PSD e CDS em todas as iniciativas, à exceção dos deputados socialistas do Algarve, Jamila Madeira, Luís Graça, António Eusébio e Fernando Anastácio, que votaram a favor assim como as restantes bancadas.

Segundo noticia a Lusa, estes partidos pediam a abolição das portagens, sendo que o PEV considera que deve ser o Governo a tomar decisão, enquanto comunistas e bloquistas querem chamar ao parlamento a medida.

Os projetos de resolução do CDS-PP e do PSD foram rejeitados com os votos a favor do PSD e CDS-PP, a abstenção do PAN e os votos contra das restantes bancadas. O CDS-PP prupunha a diminuição do custo das portagens da A22, “mantendo o seu congelamento até que as obras de requalificação da EN125 estejam concluídas”. Já o PSD apresentou um projeto de resolução pela suspensão da cobrança de portagens até à conclusão das mesmas obras de requalificação.

Na discussão das iniciativas em plenário na quinta-feira, António Eusébio, deputado socialista, defendeu que uma eventual diminuição do preço das portagens na Via do Infante, no Algarve, depende da avaliação do aumento de tráfego, que mantenha a receita do Estado.

“Hoje podemos afirmar com maior convição que a diminuição dos valores das portagens gera um aumento de tráfego e, consequentemente, reduzindo o custo das mesmas, poderemos continuar a manter a receita do Estado, mantendo os compromissos orçamentais e melhorando a mobilidade regional, e com é essa monitorização que o Governo deverá decidir diminuir ou valor ou não das portagens”, afirmou.

Segundo António Eusébio, “Portugal não dispõe de condições financeiras e económicas para defender uma solução livre de portagens” e por isso, “responsavelmente, o compromisso do PS foi o de progressivamente diminuir o valor das portagens da A22”.

 

 

 

 

Mais notícias