PO SEUR atribui 24 milhões de euros a projetos na Lezíria do Tejo

Santarém e Chamusca são os concelhos que até ao momento mais beneficiaram dos apoios comunitários atribuídos através deste fundo de coesão da União Europeia (UE).

O Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO SEUR) vai atribuir 24 milhões de euros a projetos nos municípios da Lezíria do Tejo. Santarém e Chamusca são os concelhos que até ao momento mais beneficiaram dos apoios comunitários atribuídos através deste fundo de coesão da União Europeia (UE).

Os projetos aprovados pelo PO SEUR abrangem nove áreas de intervenção deste programa, como a produção de energia através de fontes renováveis (biomassa) e a melhoria da eficiência energética e o reforço e melhoria da qualidade dos sistemas ambientais. Estas áreas contam um financiamento de 13,1 milhões de euros.

Parte destes projetos inserem-se também na prevenção e gestão de riscos, com investimentos em meios de emergência e ações estruturais para evitar acidentes graves e catástrofes e têm um orçamento de 4,4 milhões de euros. Já os projetos que dizem respeito a intervenções para prevenção e gestão de riscos de cheias e inundações, contam com um total de 3,9 milhões de euros.

“O restante montante foi atribuído a investimentos que visam reforçar a adaptação às alterações climáticas, a redução de incêndios florestais, o apoio a instrumentos de planeamento, monitorização e comunicação e ações inovadoras para a prevenção e gestão de riscos”, explica fonte do PO SEUR, em comunicado.

Santarém vai beneficiar de apoios comunitários no valor de 6,3 milhões de euros, enquanto a Chamusca vai receber 5,9 milhões de euros do Fundo de Coesão. Seguem-se os concelhos do Cartaxo com 3,8 milhões, Benavente com 2,3 milhões, Almeirim (1,9 milhões), Golegã (1,3 milhões), Salvaterra de Magos (1 milhão), Rio Maior (388 mil), Azambuja (307 mil), Alpiarça (243 mil) e Coruche (200 mil).




Mais notícias