PM de Cabo Verde diz que “socialismo escalavrado” do antecessor faliu as empresas públicas

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, respondeu às críticas do seu antecessor, José Maria Neves, afirmandoi que foi o “socialismo escalavrado” do antigo chefe do Governo cabo-verdiano que conduziu empresas públicas, como a TACV, à falência.

José Maria Neves, ex-primeiro ministro de Cabo Verde disse ontem à agência Lusa, que está preocupado com a “tendência de entrega de sectores estratégicos do país, como o transporte aéreo, a empresas estrangeiras” e alertou para os riscos do “neoliberalismo desenfreado”.

Confrontado com a notícia, Ulisses Correia e Silva comparou o Governo do PAICV com “socialismo escalavrado”. “Se ele nos classifica como neoliberais eu tenho de comparar com o socialismo escalavrado que conduziu a TACV à falência, levou a empresa ao estado de coma, colocou as empresas do Estado em falência.  Socialismo escalavrado quer dizer disforme, que não provocou de facto eficiência na economia privada e na economia pública de Cabo Verde”, disse.

Sobre aquilo que José Maria Neves chamou de uma “degenerescência” da figura do primeiro-ministro em que, conforme adiantou, há um recuo do primeiro-ministro perante “um avanço” do Presidente da República e o protagonismo do vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Ulisses Correia e Silva disse que ele tem uma forma diferente de relacionar com o poder.

“José Maria Neves era um primeiro-ministro omnipresente e omnipotente, presente em tudo, absoluto, único e iluminado. Nós temos uma forma de funcionar diferente. Para mim não é uma questão de mais ou menos protagonismo. Sempre disse que juntos somos mais fortes. Os ministros aparecem devem ter protagonismo, o Presidente tem a sua função e se juntarmos todas as peças seremos mais fortes para Cabo Verde”, disse.

Ulisses Correia e Silva salientou que é preciso contextualizar a dinâmica política de José Maria Neves, indicando que ele não falou na qualidade de ex-governante, mas sim como candidato a Presidente da República.

“Nossa relação com o Chefe de Estado é boa. O que eu vejo é que José Maria Neves já está a posicionar-se como candidato a Presidente da República e está a fazer frente ao actual Presidente da República”, reiterou Ulisses Correia Silva, garantindo que, da sua parte, não é candidato às presidenciais de 2021.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB