Plano Juncker mobiliza 225 mil milhões para investimento nos 28 Estados-membros

As operações aprovadas ao abrigo do FEIE representam um volume de financiamento total de 43 mil milhões de euros e estão localizadas em todos os 28 Estados-Membros da União Europeia.

Sebastien Pirlet/Reuters

Segundo o comunicado enviado às redações, o Plano Juncker mobiliza agora mais de 225 mil milhões de euros em investimentos em todos os 28 Estados-Membros.

Isto surge depois da reunião da semana passada do Conselho de Administração do Banco Europeu de Investimento (BEI).

Bruxelas salienta que este valor é disponibilizado “pouco mais de dois anos após a Comissão Juncker ter lançado o Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE), que está no cerne do Plano, e representa mais de dois terços do objetivo de 315 mil milhões de euros de investimentos totais mobilizados inicialmente previsto”.

As operações aprovadas ao abrigo do FEIE representam um volume de financiamento total de 43 mil milhões de euros e estão localizadas em todos os 28 Estados-Membros. Segundo o Eco, o Fundo Europeu de Investimentos Estratégicos (FEIE) deverá impulsionar, até julho, um investimento adicional de 4,9 mil milhões de euros em Portugal, para um projeto da Águas de Portugal, com um financiamento de 420 milhões de euros, e que se destina a melhorar a qualidade da água para os consumidores, segundo o Observador. O segundo – Suma Capital – tem um investimento de 20 milhões de euros e é um fundo de infraestruturas sediado em Espanha com o objetivo de promover “a eficiência energética e a economia circular”, diz o Observador que adianta ainda que em Portugal, investirá em projetos de renovação de hotéis, retrofit de instalações industriais, iluminação pública ou de valorização de resíduos e recuperação de materiais.

No total os dois novos projetos deverão mobilizar um investimento adicional de 927 milhões de euros, maioritariamente a desenvolver em Portugal.

Comissão Europeia lança consulta sobre o modo de tornar os pagamentos transfronteiriços mais baratos

A Comissão Europeia anunciou ainda em comunicado que lança hoje uma consulta pública sobre as formas de reduzir os custos dos pagamentos transfronteiriços no interior da União Europeia noutras moedas que não o euro. A União Europeia já aboliu os custos dos pagamentos transfronteiriços na área do euro: agora, estes pagamentos têm o mesmo custo que os pagamentos nacionais.

“Tal como anunciado no seu Plano de Ação para os serviços financeiros prestados a consumidores, de março de 2017, a Comissão Europeia quer agora alargar poupanças semelhantes a outras divisas e eliminar as práticas de tarifação, que não são favoráveis para os consumidores. A consulta pública estará aberta até 30 de outubro de 2017”, diz a instituição com sede em Bruxelas.

Valor total das exportações agroalimentares da UE aumentou 9 % em maio de 2017

A Copmissão lançou ainda os novos dados das exportações que “confirmam sólido desempenho das exportações agroalimentares europeias”.
A Comissão Europeia publicou hoje o seu relatório mensal do comércio agroalimentar onde se destaca o Acordo de Parceria Económica a que chegaram, em princípio, a UE e o Japão.

O relatório revela que o valor total das exportações agroalimentares da UE aumentou 9 % em maio de 2017 comparativamente ao ano anterior.

As exportações mensais aumentaram sobretudo para os EUA, a China, o Japão, Hong Kong, a Rússia e a Coreia.

Entre junho de 2016 e maio de 2017, as exportações agroalimentares da UE atingiram um valor de 131,8 mil milhões de euros, o que corresponde a um aumento sustentado de 2,6 %.



Mais notícias
PUB
PUB
PUB