Plano de reestruturação da Caixa gera contestação de sindicatos

Federação critica a forma como a CGD tem gerido a relação com os trabalhadores na reestruturação do banco estatal..

Jose Manuel Ribeiro/Reuters

Os sindicatos dos bancários da Federação do Setor Financeiro (FEBASE) criticaram esta sexta-feira a administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD) “pela forma como tem gerido a sua relação com os trabalhadores e estruturas”.

Em comunicado, esta estrutura sindical considera “inaceitável que quer os trabalhadores, quer os sindicatos tenham conhecimento do plano de reestruturação do quadro de pessoal pela comunicação social, quando já solicitaram uma reunião à Administração da CGD e à qual ainda não obtiveram resposta”.

Os sindicatos da FEBASE indicam que vão solicitar a intervenção da UGT e da tutela, pretendendo “encontrar medidas que minimizem os efeitos sociais e laborais da reestruturação prevista permitindo salvaguardar os postos de trabalho”.

O Plano Estratégico 2020 da Caixa Geral de Depósitos prevê uma redução de 25% no número de balcões. Esta quarta-feira veio a público a lista dos primeiros 70 balcões que vão fechar até ao final do ano: na região Sul do país fecham 19 balcões, em Lisboa 20, no Centro 15 e no Norte 16.

Sobre o corte de pessoal, também no âmbito da reestruturação com vista à rentabilidade, Paulo Macedo estima que represente uma poupança de custos de 150 milhões de euros, para uma saída de 2.218 pessoas.





Mais notícias
PUB
PUB
PUB