PJ investiga claques e detém oito suspeitos

Da “Operação Petardo”, realizada em conjunto pela PJ de Braga e pela PSP, resultaram oito detenções por suspeitas de atividade ilícita de fabrico e venda de artigos pirotécnicos.

Em comunicado, o Departamento de Investigação Criminal de Braga da Polícia Judiciária anuncia ter levado a cabo uma operação policial conjunta com a PSP, denominada “Operação Petardo”. Parte de uma investigação acerca do fabrico e venda ilegais de artigos pirotécnicos, que também identificou ilegalidades relativas ao “fabrico e venda de artigos pirotécnicos, ao tráfico de armas e à comercialização e utilização de petardos e tochas de fumo em recintos desportivos”, esta operação tinha como objetivo cumprir seis mandados de detenção e 34 buscas a residências e oficinas de pirotecnia.

Durante a operação, as autoridades detiveram “em flagrante delito” dois suspeitos de “detenção de armas proibidas, nomeadamente rastilho e engenho para lançamento de artigos pirotécnicos”. Com idades compreendidas entre os 27 e os 53 anos, estes dois detidos serão presentes a um juiz, que aplicará as devidas medidas de coação.

No mesmo comunicado, a PJ diz que continuam a decorrer as investigações relativas aos incidentes que ocorreram em Braga depois do jogo entre o Braga e o Vitória de Guimarães do passado dia 22 de janeiro. Em causa estão os disparos que alvejaram o autocarro onde viajavam funcionários da empresa de segurança que presta serviço na “Pedreira”, estádio do Sporting de Braga.

PUB
PUB
PUB