Personalidade do ano: Marcelo Rebelo de Sousa

Orçamento, défice, incêndios ou Costa. O ano de 2017 foi “contraditório” para o presidente Marcelo Rebelo de Sousa, eleito a figura do ano pelos leitores do Jornal Económico.

“Ficou claro que, num ano de sucesso, havia fragilidades estruturais que vieram ao de cima, umas mais antigas, outras mais recentes, em matérias como a florestação, o ordenamento florestal, o combate em termos de segurança”. Para o presidente o percurso deu resultados positivos mas o trabalho não pode parar. Se Portugal vivia “uma hora de alegria”, depois da saída da divida pública da classificação de “lixo”, logo avisou que é “preciso continuar o esforço”. Em relação à eleição de Mário Centeno, considerou-a “um sinal importante e positivo”, mas reiterou de imediato que traz mais responsabilidades para Portugal.



Mais notícias