PeekMed ajuda médicos a prever efeitos de cirurgias

Startup bracarense promete mudar a forma como as cirurgias ortopédicas são realizadas, com simulações a três dimensões.

De uma tese de mestrado nasceu um programa e uma empresa que pretende revolucionar as cirurgias ortopédicas. A PeekMed mudou a forma como se realizam estas cirurgias, não diretamente na sala de operações, mas na sua preparação, permitindo aos cirurgiões terem acesso a “um sistema de preparação pré-cirúrgico, que permite criar um modelo a três dimensões do objeto da cirurgia, através dos exames realizados pelo doente, como o raio-x, TAC ou ressonâncias magnéticas”, disse João Pedro Ribeiro, o CEO e cofundador desta startup bracarense.

“Este sistema permite aos médicos cirurgiões terem acesso, antes da operação, a um modelo que lhes permite simular tudo o que é preciso antes da operação. Ou seja, quando vai para a cirurgia, o médico já sabe tudo o que vai precisar de fazer”, referiu João Ribeiro.

A PeekMed nasceu em 2014, quando João Ribeiro uniu esforços com Sara Silva e Jaime Campos e, apoiados pela Startup Braga, avançaram para a oficialização do negócio. Foi uma das primeiras empresas a participar nos programas de aceleração da incubadora.

A base tecnológica da PeekMed nasceu da dissertação de mestrado de João Pedro Ribeiro quando surgiu a ideia de elaborar um software que permitisse transformar TAC, radiografias e ressonâncias magnéticas em modelos 3D, capazes de assistir profissionais de saúde no planeamento de intervenções cirúrgicas, simulando os resultados antes da cirurgia, de modo a ser mais precisa e prevenir eventuais efeitos inesperados.

Com esta tecnologia os cirurgiões “conseguem perceber qual o problema do paciente com elevado detalhe, que tipo de abordagem devem adotar e qual o material necessário e mais indicado, para além de ajudar a diminuir tempos de planeamento, tempos cirúrgicos, custos de esterilização de material e a potenciar o resultado final da intervenção”, acrescentou. O programa possui também uma base de dados alargada de próteses e acessórios operatórios, permitindo que os profissionais de saúde possam escolher a melhor combinação de ferramentas para cada caso.
Sem revelar valores de vendas e de investimento, João Pedro Ribeiro diz que apesar do “crescimento exponencial” que a empresa tem tido a nível nacional, o “mercado internacional terá sempre que ser a aposta principal da PeekMed”. Se, no início, o foco foi a aposta direta nos médicos, tendo o sistema disponibilizado pela PeekMed chegado a cerca de 900 cirurgiões em 30 países do mundo, neste momento a startup bracarense virou a sua atenção para os hospitais e empresas que trabalham na área, tentando abranger o máximo do mercado que têm disponível.
João Pedro Ribeiro acredita que o ano de 2018 vai ser de expansão. A PeekMed tem como principais objetivos o aumento das vendas, mas também da sua base de clientes quer a nível de médicos, quer de hospitais, “procurando também chegar às empresas que comercializam material ortopédico”.

Artigo publicado na edição digital do Jornal Económico. Assine aqui para ter acesso aos nossos conteúdos em primeira mão




Mais notícias
PUB
PUB
PUB