Pedrógão Grande: Incêndio semelhante pode repetir-se em três quartos do país

“Infelizmente, o potencial para acontecerem novas tragédias é extremamente elevado", afirmou o presidente do Fórum Florestal.

Miguel Vidal/Reuters

O presidente do Fórum Florestal alertou esta segunda-feira para a hipótese de um incêndio como o de Pedrógão Grande poder acontecer em três quartos do país. “Infelizmente, o potencial para acontecerem novas tragédias é extremamente elevado (…). Aquilo que aconteceu em Pedrógão podia ter acontecido em três quartos do nosso território”, afirmou António Louro à agência Lusa.

O responsável pelo organismo refere que está há dez anos a chamar a atenção para este perigo e confessou-se até surpreendido por ter “demorado tanto tempo a acontecer uma tragédia desta dimensão”. À mesma agência, António Louro indicou que há falhas que explicam a catástrofe, como a falta de estadistas e medidas eficazes e de capacidade “enquanto país” de perceber o que está a acontecer às zonas rurais.

“As situações de perigo no combate aos incêndios florestais são extremamente recorrentes. (…) Infelizmente, o país não foi capaz de reagir às profundas mudanças que aconteceram no território rural, à saída das pessoas, há mudança do tipo de proprietários, e as consequências estão à vista: uma paisagem completamente insustentável com um clima como o nosso”, enfatizou.

Para evitar novos incêndios destas dimensões, o presidente do Fórum Florestal defendeu que é preciso procurar “novas soluções de gestão para os territórios rurais”, que permitam implementar o ordenamento e sistemas de gestão e fendeu ainda que as autoridades deviam pensar com urgência como é que as verbas do Plano Junker podem ser alocadas no desenvolvimento florestal em Portugal.

Mais notícias