PDR critica falta de alterações no acordo de mobilidade entre Madeira e Continente

Filipe Rebelo, candidato do Partido Democrático Republicano, afirmou que é incompreensível que nada tenha sido alterado no acordo de mobilidade que prejudica os madeirenses, referiu hoje, em comunicado.

Filipe Rebelo, líder regional do Partido Democrático Republicano (PDR), disse que é difícil de compreender que “nada tenha sido feito para alterar o que está mal no acordo entre a Região e o Governo da República”, referiu o candidato em comunicado, hoje, explicando que os estudantes madeirenses e os doentes são quem ficam prejudicados com as limitações do acordo de mobilidade.
O candidato do PDR apontou que “não se pratica serviço publico” com os preços praticados pelas companhias que viajam para a Região, “como nunca se respeitou a constituição,que defende a continuidade territorial”, exclamou.
Filipe Rebelo sublinha ainda que mais importante do que saber que o subsidio ultrapassou os 24 milhões de euros, “ é tempo deste governo e deste secretário fazerem mais por esta situação”, declarou.
O líder regional do PDR acrescentou que não é suficiente dizer que é responsabilidade do governo esta situação, apontando que se é assim “porque é que o governo Regional ainda não reclamou na Europa que a República não está a cumprir o acordo firmado com a Região, quer com o subsídio de mobilidade quer com o serviço público”, apontou.



Mais notícias