PCP quer atribuição de médico de família a todos os recém-nascidos da Madeira

O PCP vai entregar na Assembleia da Madeira um Decreto Legislativo Regional que propõe o reforço de profissionais como forma de combater "a crescente dificuldade no acesso à saúde".

A garantia de que nenhuma criança fica privada de médico de família na Região Autónoma da Madeira é o intuito do Decreto Legislativo Regional que o PCP vai entregar na Assembleia Regional para combater “a insuficiência de respostas nos cuidados primários da Região”.

Uma das preocupações manifestadas pela deputada Sílvia Vasconcelos, esta segunda-feira, reside na “crescente dificuldade no acesso à saúde” que se manifesta em situações como “a falta de médicos de família para todos os utentes”.

“Há constrangimentos orçamentais gravíssimos na saúde, há redução dos serviços de proximidade”, alertou.

A “insuficiência de resposta” nos cuidados de saúde primários na Região é outro dos reparos realçados por Sílvia Vasconcelos que existem na saúde. Todas estas situações alerta a deputada do PCP Madeira geram “desigualdades sociais”.

Sílvia Vasconcelos considerou inaceitável que “tantas crianças” na Região não tenham médico de família. Nesse sentido o Decreto Legislativo Regional vai propor um reforço do número de profissionais de saúde e ainda a criação de “um processo automático” que atribua a todos os recém-nascidos um médico de família.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB