Passos Coelho acusa Costa de ‘bullying’ sobre a PT

Numa convenção autárquica distrital do PSD de Viana do Castelo, o líder do PSD defendeu também que o primeiro-ministro atira a responsabilidade sobre o que se passa na PT para o Governo anterior.

Pedro Passos Coelho defendeu este sábado que não foi o anterior Governo a privatizar a PT, mas sim o anterior executivo de José Sócrates. No final de uma convenção autárquica distrital do PSD de Viana do Castelo, o líder do PSD apontou ainda o dedo a António Costa pela postura em relação à Altice, acusando o primeiro-ministro de fazer pressão e de ter uma atitude quase terceiro-mundista.

“A PT não foi privatizada por mim enquanto estive no Governo. Relativamente à PT, o Governo que eu liderei só fez uma coisa: Cumprir uma medida que estava no memorando de entendimento que era acabar com a golden share que o Estado detinha na PT”, disse Passos Coelho, citado pela agência Lusa. “Foi um compromisso do engenheiro Sócrates e do professor Teixeira dos Santos no memorando de entendimento”.

Passos Coelho acusou também António Costa de “atirar a responsabilidade sobre o que se passa hoje na PT” para o Governo anterior. “Devia saber que não fomos nós que privatizámos a PT. Devia deixar de estar sempre a fazer insinuações sobre o passado porque já não há paciência para as insinuações maldosas que o Governo, no seu todo, faz em relação ao passado”, afirmou, dirigindo-se a António Costa.

O líder do PSD respondeu assim às declarações do primeiro-ministro na passada quarta-feira no debate do estado da Nação. Na Assembleia da República, Costa mostrou-se apreensivo com o futuro da PT, agora propriedade da multinacional Altice, tendo dito que temia pelo futuro de postos de trabalho.

“É uma péssima imagem. É uma coisa quase terceiro-mundista ter um primeiro-ministro que faz politicamente, publicamente acusações a empresas que, em princípio, criam emprego, trazem investimento ao país e podem gerar riqueza”, tinha já acusado Pedro Passos Coelho antes de participar numa convenção distrital do PSD de Viana do Castelo, em Valença.

Segundo Passos, não é ao chefe do Governo que “compete estar publicamente a fazer uma espécie de ‘bullying’ [pressão] sobre determinadas empresas” como a PT/Altice. O líder do PSD acrescentou ainda que não é “um bom discurso estar a discriminar as empresas como boas ou más, em função dos gostos” sobre “os seus investidores”, por exemplo.





Mais notícias
PUB
PUB
PUB