Parlamento Europeu quer wi-fi grátis em toda a Europa

Eurodeputado Carlos Zorrinho diz ao Jornal Económico que o interesse na iniciativa poderá fazer com que sejam agregados ainda mais recursos que os 120 milhões de euros iniciais.

O Parlamento Europeu vota hoje o acordo que prevê a implementação da internet gratuita em toda a Europa, através da implementação de seis mil comunidades com ligação wi-fi de alta velocidade, até 2020.

A inicitiva wifi4eu é reservada a entidades públicas com espaços abertos ao público, tais como bibliotecas, hospitais, parques ou estações de transportes públicos. Caso seja aprovado, as candidaturas podem ser submetidas a partir do próximo ano.

Os portugueses poderão beneficiar do acesso livre à internet em breve. O eurodeputado Carlos Zorrinho, em declarações ao Jornal Económico, explica que “Portugal terá acesso a um número de conexões financiadas, equivalente ao seu peso relativo – num modelo simples de candidatura e atribuição de vouchers para instalação”.

“O interesse que a iniciativa tem despertado em Portugal e noutros países europeus faz-me acreditar que o programa, dotado de 120 milhões de euros de financiamento base, será o catalisador e o ponto de partida para uma rede que poderá mobilizar outros recursos provenientes de fundos comunitários geridos nacionalmente e de fundos nacionais, públicos e privados”, acrescenta Carlos Zorrinho.

Para o eurodeputado, a importância da iniciativa wifi4eu reside no acesso à internet independentemente da localização, do rendimento e da tecnologia dos utilizadores em toda a Europa. “Esta iniciativa é assim o embrião da criação de uma sociedade digital europeia a Gigabits, em que os valores comuns europeus estarão incorporados, contribuindo para o surgimento de uma identidade digital europeia”, frisa.

As expectativas são que, caso o acordo seja aprovado, as conexões Wi-Fi comecem a ser instaladas a partir do próximo ano. Os utilizadores poderão conectar-se sem custos e utilizando uma password única de acesso, depois das entidades públicas se inscreverem online na plataforma que será criada.

“Num momento de transição tecnológica para as redes de alta velocidade e para o 5G, assume a ambição de que todos os cidadãos europeus possam ter acesso a essa oportunidade, disponibilizando acesso gratuito nos espaços públicos de toda a UE”, salienta Carlos Zorrinho.



Mais notícias