Paris, Dublin ou Frankfurt: quem vai receber os bancos ‘exilados’ do Brexit?

Segundo a Bloomberg, vários bancos preparam-se para recolocar funcionários do Reino Unido, como antecipação à saída do país da União Europeia.

Jon Nazca/Reuters

O líder dos democratas-cristãos na Alemanha, Manfred Weber, importante aliado do Parlamento Europeu de Angela Merkel, disse que o mercado financeiro de Londres ligado ao euro vai reduzir-se após o Brexit.

“Quando a Grã-Bretanha deixar a União Europeia, para nós não é imaginável que, no final, todos os negócios do euro ainda seja administrado em Londres”, disse o líder dos democratas-cristãos a jornalistas, citado pela Bloomberg. “O negócio do euro deve ser gerido em solo da UE.”

A União Europeia está a definir os termos para as negociações com o Reino Unido, para o abandono do país do projeto de construção europeia. 

Segundo a Bloomberg, vários bancos preparam-se para recolocar funcionários do Reino Unido, em antecipação da saída do país.

“Tenho o interesse evidente de que lugares como Amesterdão, como Paris, como Dublin, como Frankfurt, possam ganhar e outros perderem”, disse Weber. “Não será uma coisa positiva para a cidade de Londres no fim.”

Mais notícias