Papa em Portugal: fronteiras nacionais fechadas até domingo

Controlo documental nas fronteiras aéreas, marítimas e terrestres foi reposto temporariamente a partir das 0 horas de quarta-feira por "razões de segurança interna e ordem pública" devido à visita do papa Francisco a Fátima.

REUTERS/Rafael Marchante

O controlo documental dos cidadãos nas fronteiras aéreas, marítimas e terrestres começou à meia noite desta quarta-feira feira e vai durar até às 00h00 de domingo, 14 de maio. Durante este tempo, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras é a entidade responsável pela ‘Operação Fronteira Branca’, realizada por ocasião da visita do papa.

Esta medida foi decidida pela Governo devido à “dimensão, características, complexidade do evento, visibilidade mediática e enorme afluxo de pessoas” que são esperadas em Fátima e ao “contexto atual de ameaça”.

Nesse sentido, foi necessário “garantir a segurança interna, através de medidas adequadas, entre as quais, a prevenção da entrada em território nacional de cidadãos ou grupos cujos comportamentos possam ser suscetíveis de comprometer a segurança”, sendo a reposição temporária do controlo documental “uma medida de exceção”.

Num comunicado enviado à agência Lusa, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras refere que em todas as fronteiras existem pontos de passagem autorizados, mas, no caso das terrestres, foi definido nove pontos de passagem autorizados.



Mais notícias
PUB
PUB
PUB