Otto: Esta empresa confia o futuro na inteligência artificial

Empresa tem um algoritmo que consegue prever quais vão ser as próximas compras dos clientes, permitindo à Otto repor o 'stock' com 90% de precisão.

Primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, numa demonstração de robótica REUTERS/Christinne Muschi

A Otto, uma empresa alemã de comércio online, está a utilizar inteligência artificial para melhorar algumas das suas atividades.

Este processo já é usado por várias empresas de grande escala, como a Amazon, conta o The Economist.

Como funciona?

A empresa utiliza uma tecnologia desenvolvida pela Blue Yonder, uma startup que se baseou num algoritmo criado pelo CERN, em Genebra. O algoritmo da Blue Yonder permite “adivinhar”, ou antecipar, as compras dos seus clientes.

Esta inteligência artificial prevê com 90% de precisão o que vai ser vendido nos próximos 30 dias permitindo à Otto repor o stock de 200 mil itens por mês, automaticamente, sem intervenção humana. Seria impossível para uma pessoa analisar com a mesma precisão.

Assim, a Otto, tem capacidade de analisar 3 mil milhões de compras anteriores e 200 variáveis, como pesquisas no site e vendas, permitindo prever o que os clientes vão comprar uma semana antes de fazerem a encomenda mensal.

A Otto conseguiu diminuir um quinto do excedente de encomendas. Os clientes recebem a sua encomenda mais cedo, o que melhora a fidelidade dos clientes a longo do tempo. O algoritmo também só reduziu a devolução de produtos em mais de 2 milhões de itens por ano.

Com este sistema na empresa, houve uma necessidade em contratar mais funcionários, contrariamente ao que se pode pensar.

 



Mais notícias