Os testes mais duros por que passam os Porsche

No seu mais recente vídeo Top 5, a Porsche revela quais os cinco testes mais duros por que passam os seus modelos antes de chegar ao consumidor. Ao mesmo tempo, dá-nos a conhecer um pouco melhor o seu centro de testes e desenvolvimento, em Weissach, na Alemanha.

Independentemente de onde sejam produzidos, todos os modelos da Porsche são desenhados em Weissach, o centro de desenvolvimento da marca desde 1966. No seu mais recente vídeo da série Top 5, a casa de Estugarda dá-nos a conhecer um pouco mais do centro de Weissach, ao mesmo tempo que revela quais os piores testes por que todos os modelos da marca passam antes de chegar às linhas de montagem.

A pista de derrapagem abre o top e existe há mais de 50 anos naquele local. Serve para testar a dinâmica de condução, mas também a segurança das porcas que seguram as rodas. Segue-se a pista de testes, o coração do centro e a prova de fogo de todos os modelos. Entre outras coisas, aqui é possível testar o comportamento da suspensão, mas também a resistência à corrosão da parte inferior da carroçaria.

O terceiro elemento na lista é o túnel de vento, a funcionar desde 2015, que ajuda os engenheiros no desenvolvimento dos defletores que produzem a downforce necessária para manter os modelos de Estugarda colados à estrada. Em segundo lugar no top surge a pista TT, que põe à prova as capacidades dos SUV da Porsche, mas que contribuiu para o 959 triunfar no Rali Dakar de 1986.

A encimar a lista está a pista de testes de colisão. A Porsche realiza este tipo de testes desde o final dos anos 80 do século passado, tendo recorrido a várias fórmulas antes da criação do sistema de carris. A mais curiosa das quais sendo a utilização de gruas, de onde os modelos eram lançados para simular os embates.