Os dinossauros da política mundial

A limitação de mandatos tem como propósito evitar abusos de poder e garantir a rotatividade governativa para o bom funcionamento da democracia.

Mas nem todos os presidentes estão dispostos a cumprir com este princípio. Da América Latina às ex-repúblicas soviéticas, passando pelo continente africano, multiplicam-se os casos de presidentes que fizeram e desfizeram leis constitucionais com um único propósito: somar mais uns anos de liderança aos que até então a lei lhes permitia. A prática serve de precedente para outros dirigentes políticos e já há vários candidatos a fazer o mesmo. Há ainda casos em que a própria Constituição não estipula um limite de anos a que os presidentes estão sujeitos, o que, por norma, leva aos mandatos vitalícios.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB