Operação “Cashball”: Ministério Público confirma quatro detidos, dois são funcionários do Sporting

A Procuradoria Geral Distrital do Porto (PGDP) confirma a detenção de quatro pessoas, entre as quais dois funcionários do Sporting Clube de Portugal. Investigação incide sobre suspeitas de corrupção activa e de corrupção passiva na actividade desportiva.

A Procuradoria Geral Distrital do Porto (PGDP) confirma a detenção de quatro pessoas, entre as quais dois funcionários do Sporting Clube de Portugal. Gonçalo Rodrigues, funcionário do clube, e André Geraldes, diretor desportivo do futebol do Sporting são suspeitos do crime de corrupção activa e de corrupção passiva na actividade desportiva, no âmbito da operação “Cashball” que investiga um alegado esquema de corrupção envolvia a compra de equipas de arbitragem de andebol para os leões ganharem o campeonato da época de 2016/17.

Como decorrência das investigações, e em execução de quatro mandados de detenção, foram também detidas quatro pessoas, entre as quais se contam dois funcionários do clube desportivo”, avança a PGDP em comunicado referente à operação “Cashball” , uma investigação da Polícia Judiciária (PJ), através da Diretoria do Norte, no âmbito de inquérito dirigido pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) do Porto.

No comunicado, a PGDP dá conta que, “no âmbito de processo de inquérito que corre termos no DIAP da Comarca do Porto, em que se investigam factos susceptíveis de integrar, entre outros, os tipos legais de crime de corrupção activa e de corrupção passiva na actividade desportiva, o Ministério Público, coadjuvado pela Polícia judiciária, realizou hoje buscas domiciliárias e em instalações de clube desportivo”.

Como decorrência das investigações, avança a PGDP, “em execução de quatro mandados de detenção, foram também detidas quatro pessoas, entre as quais se contam dois funcionários do clube desportivo”.

O Ministério Público apresentará os detidos a primeiro interrogatório judicial de arguido detido, promovendo a aplicação de medidas de coacção.

A PJ anunciou ao final da manhã a detenção de quatro pessoas durante buscas realizadas na SAD do Sporting, em Alvalade (Lisboa), por “suspeitas de corrupção ativa”.

Os detidos são André Geraldes (diretor do futebol do Sporting), Gonçalo Rodrigues (funcionário do Sporting que suspendeu funções esta terça-feira), Paulo Silva (o denunciante deste esquema) e João Gonçalves (o intermediário).

Na mira da Justiça está um alegado esquema que passaria pela compra de árbitros de andebol e pagamentos a jogadores na época passada e, sobretudo, na região norte do país pelo que a operação está a ser liderada pela PJ e pelo Ministério Público do Porto. A investigação terá se alastrado à modalidade do futebol. Um dos jogos sob suspeita é o Vitória de Guimarães-Sporting da época passada, que terminou com a vitória leonina por 5-0.

Em causa está, segundo noticiou ontem o Correio da Manhã, um esquema passaria pela alegada compra de equipas de arbitragem, quer para os leões ganharem, quer para o Futebol Clube do Porto, com o qual disputaram o campeonato até ao fim, perder e abrangeu a época de 2016/17, ganha pelo Sporting.

Em comunicado, a PJ adianta que a operação ‘Cashball’ envolveu 40 elementos da PJ e incluiu uma dezena de buscas domiciliárias e num clube desportivo (Sporting).

Sporting confirma buscas em instalações e detenção de dois colaboradores

O Sporting confirmou também nesta quarta-feira, 16 de maio, em comunicado, a realização de buscas em instalações do clube, no âmbito de uma investigação que se encontra em segredo de justiça, e indica que dois colaboradores foram constituídos arguidos.

Num curto comunicado, o Sporting garante que “confia na justiça” e assegura que “prestou e prestará toda a colaboração necessária ao apuramento da verdade”.

 

 






Mais notícias
PUB
PUB
PUB