Opel: Um BiTurbo que ganha asas

O Astra 1.6 BiTurbo CDTI de 160 cv é um dos quatro turbodiesel que a marca lançou no início do ano e que completam a família Astra.

A Opel está a ganhar força com um novo posicionamento no mercado, com a “democratização” de soluções premium em segmentos até agora reservados a alguns e o novo Astra 1.6 BiTurbo é um dos exemplos mais completos de um grande carro por um valor razoável.

Mas vamos à motorização e ao comportamento e depois aos preços. O Astra 1.6 BiTurbo CDTI de 160 cv é um dos quatro turbodiesel que a marca lançou no início do ano e que completam a família Astra. O carro experimentado ganhou ainda mais com a série OPC Line. O realce vai para a performance que permite fazer dos 0 aos 100 Km/h em 8,6 segundos e uns escassos 7,5 segundos para recuperar dos 80 Km para os 120 Km/h. Sem entrar em pormenores técnicos há um destaque que é necessário fazer a nível de trabalho de engenharia. Foi possível obter com esta motorização um binário máximo de 350 Nm gerado às 1500 rotações, o que conjugado com um peso relativamente baixo, permitiu dar “vigor” e “fibra” à máquina. Este motor de quatro cilindros tem dois turbocompressores de funcionamento sequencial e que rapidamente levam o veículo à potência máxima, mantendo um interior silencioso e sem oscilações na passagem da caixa de velocidades que é manual. Um dado relevante permitido por uma tecnologia ímpar é o consumo que embora longe dos 4,1 l/100 Km/h anunciado pelo construtor permite ainda assim, conseguir médias inferiores a 6 l aos 100 Km/h. O trabalho de engenharia na redução do peso foi crucial. Neste novo modelo “desapareceram” 77 Kg em termos de peso da carroçaria e no chassis “perderam-se” mais 50 Kg. Foi uma verdadeira “cura de emagrecimento”.

E se o interior é excelente em termos de posicionamento de condução, de aceleração e de controlo total do carro, a par de uma ergonomia singular, com destaque para os novos bancos, o exterior com a linha OPC ganhou uma outra “dimensão” e um outro “vigor”. Foram redesenhados os para-choques, assim como as saias laterais, com uma imagem mais próxima da linha do Insígnia, ou seja, de um segmento incontestavelmente superior. Visualmente parece um carro mais largo e também mais baixo, o que gera uma sensação de segurança na condução e, ao mesmo tempo, uma imagem mais musculada e dinâmica. As grelhas sob os faróis ajudam à construção de uma imagem com presença na estrada. Mas atenção que estamos a falar de alguns packs opcionais e que podem encarecer o custo em mais alguns milhares de euros. Falamos dos faróis de matriz de Led, ainda do pacote de navegação e o pack com o revestimento nos para-choques e saias laterais e forro do tejadilho. Também o sistema open & start sem chave é pago como opcional.



Mais notícias
notícia seguinte