OCDE revê em baixa estimativa de crescimento da economia portuguesa para 2,2%

A OCDE está menos confiante que o Governo e que o Fundo Monetário Internacional. Espera que o produto interno bruto de Portugal cresça 2,2% este ano e no próximo, de acordo com os dados publicados esta quarta-feira.

Cristina Bernardo

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) reviu em baixa a projeção para o crescimento económico de Portugal. Nas projeções publicadas esta quarta-feira, a OCDE estima que o produto interno bruto (PIB) português cresça 2,2% tanto este ano, como no próximo, após os 2,7% registados em 2017.

O valor representa uma diminuição de uma décima face à última projeção (de novembro) e fica abaixo das principais projeções. Governo, Fundo Monetário Internacional e Comissão Europeia alinham todos na estimativa de crescimento de 2,3% para este ano.

“A recuperação deverá continuar apoiada nas reformas implementadas e pelas condições favoráveis de comércio externo e procura interna. A atividade de investimento será apoiada por um aumento da absorção dos fundos estruturais da UE em 2018”, explica a organização.

O consumo das famílias beneficiou de melhorias nas condições do mercado de trabalho e de um ligeiro abrandamento no ritmo de desalavancagem do setor privado. “No entanto, tanto o consumo como o investimento continuam a ser limitados pelo fraco crescimento da produtividade do trabalho”, apontou a OCDE, referindo que há espaço em Portugal para aumentar os ganhos de eficiência.

A tendência de desaceleração económica não é, no entanto, exclusivamente portuguesa. A OCDE reviu também em baixa a projeção para grandes economias europeias, incluindo Alemanha, França e Itália. Para o conjunto da zona euro, a estimativa é de um crescimento de 2,2% em 2018 e 2,1% em 2019.

OCDE revê em baixa crescimento da economia mundial este ano, para 3,8%

[Notícia atualizada às 10h20]






Mais notícias
PUB
PUB
PUB