InícioEconomiaObamacare em vias de extinção: Senado avança com o primeiro passo

Obamacare em vias de extinção: Senado avança com o primeiro passo

É a nota de boas-vindas a Donald Trump: um dia após o último discurso de Barack Obama, o Senado aprovou a primeira medida para desmantelar o programa de saúde por ele criado. A votação permite que se altere a legislação em vigor.

barack-obama

O Senado norte-americano aprovou hoje uma medida que representa o primeiro passo para desmantelar o programa de saúde Obamacare, tal como anunciou o presidente eleito Donald Trump. “Temos de agir rapidamente para trazer alívio ao povo norte-americano”, disse o líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell.

A Câmara dos Representantes deve votar na sexta-feira a medida que abre caminho para a revogação do Obamacare, apesar de alguns republicanos terem manifestado dúvidas sobre o início do processo antes de ser apresentado um plano de substituição, avançou a agência Reuters.

Na terça-feira, Donald Trump prometeu que a sua Administração irá revelar em breve um plano para substituir o Obamacare com legislação para “tratar dos cuidados de saúde neste país”.

“Vamos repelir e substituir, é uma coisa muito complicada”, disse Trump, acrescentando que os dois passos iriam surgir praticamente ao mesmo tempo, uma promessa que será difícil de cumprir tendo em conta as regras do Senado e a oposição dos democratas.

A aprovação da proposta de hoje vai permitir legislação consequente para fugir ao risco de uma obstrução parlamentar (filibuster) pelos democratas no Senado. No entanto, os republicanos ainda não chegaram a um acordo sobre como substituir o Obamacare.

O programa do Presidente Obama alargou a assistência na saúde a cerca de 20 milhões de norte-americanos, impedindo que as seguradoras negassem cobertura devido a problemas preexistentes, e direcionou milhares de milhões de dólares para os estados para o programa de saúde Medicaid, destinado aos mais pobres.

A votação do Senado (51-48) vai estabelecer regras orçamentais especiais que vão permitir que a segunda votação, para repelir partes do programa de saúde, aconteça com uma maioria simples no Senado.

  • José Sousa

    Seria interessante dizer porque o Trump quer mudar e que está a falhar no Obamacare. Soa a mais noticia tendenciosa.

    “O Obamacare não está a correr como o idealizado, uma vez que o número de pessoas que subscreveu os seguros subsidiados pelo Estado não está a ser tão elevado quanto o estimado.

    Há apenas 10,4 milhões de segurados, menos de metade dos 22 milhões que o departamento orçamental do Congresso tinha estimado em 2014 para o total de apólices em 2016.

    Uma semana antes das eleições foram divulgados novos dados do executivo de Barack Obama que prevêem um aumento médio de 25% no próximo ano nos prémios das modalidades dos seguros de saúde mais populares, na sequência da menor adesão do que o esperado. De acordo com o Governo, esse aumento do custo não será tão devastador porque mais de 80% dos consumidores pode beneficiar de subsídios para adquirir os seguros. Mas, ainda assim, é um aumento de custos para os subscritores.

    Isto porque um dos problemas passa pelo facto de, apesar de haver multas associadas, nem toda a gente que não está coberta pelo seguro da empresa optar por subscrever um mandato individual. Preferem deixar a subscrição para quando, ou se, forem diagnosticadas com alguma doença. Isto faz com que aumentem os valores do prémio, e, consequentemente, com que menos gente adira. É um efeito bola de neve.

    A chave do sucesso do Obamacare era atrair pessoas jovens e saudáveis, com um valor de prémio fixo, que é igual para estes e para os que têm uma doença preexistente — mas pode estar a falhar neste princípio.”

    O estado americano gasta biliões com transferências para os Estados, para subsidiar os seguros. Este dinheiro eventualmente poderia ser gasto de uma maneira mais eficiente. É isso que Trump pelo menos diz.

  • O Obama esqueceu-se da cultura americana, mas não admira, ele é Nigeriano e segundo reza a história, um islamita radical, que sempre foi um perigo para os EUA, criou o Obamacare, o ISIS e se estivesse mais 10 anos no poder, os EUA, ou virava África ou país árabe. Este preto só fez MERDA e da grossa, ainda se vai descobrir e dentro de pouco tempo, a Hillary Clinton, sabe tudo a respeito do preto, visto ela ser uma antipatriota descarada. Estou ansioso para que saia o cheiro a CATINGA daquela Casa Branca e para que volte novamente ao normal. Trump, entra e faz o que tens a fazer, destrói esses democratas da treta, que estão a desgraçar e a afundar o Mundo completamente.

    • Carlos Reis

      Se você não fosse parvo, o que é que gostava de ser ?.

      • luis

        Certamente um grande filho da p…….. !

        • Se fosse filho da irmã da tua tia, talvez.

      • Pirocas the invincible

        Enrabaador de curiosos…

        • Bem respondido a esse F….da…..P…. .

      • Igual a ti, nunca, parvo neste caso deve ser o irmão do teu tio.

    • Calendula

      Comentário nojento e parvo.

      • Quando te enrabei, não dizias isso seu GAY de MERDA.

      • Vê-se logo que és um comuna de MERDA.

      • Calendula

        Impressionante. Não consegue fazer um comentário sem sair “merda”. Que grande pivete.

    • salazar

      Caramba ! Grande imaginação.

    • salazar

      Grande ressabiado

    • sullll

      isso que tas a dizer era uma realidade america esta a ficar parecido ao mexico em termo de cartéis de droga
      obama o que queria agora era uma fundaçao mas com trump a ganhar a presidencia ele vai e mamar na 5º pata do cavalo

  • Trumputin.

    Virá brevemente um TrumputinCare !