O que Buffet não sabe pode ajudá-lo a investir com mais eficácia

O multimilionário admite não saber tudo, e o que ele não sabe pode torná-lo a si melhor investidor. Aqui estão os cinco aspetos que Buffet desconhece sobre investimentos, mas que contribuíram grandemente para a sua fortuna.

Warren Buffet tem muitos conhecimentos sobre investimentos, negócios e cultura geral, algo que se comprova através das cartas anuais que redige aos accionistas da Berkshire Hathaway, no entanto, o que Buffet admite não saber é ainda mais interessante.

Aqui estão os cinco aspetos que o magnata desconhece sobre investimentos, mas que contribuíram grandemente para a sua fortuna, segundo o MSN.

1. Como prever com fiabilidade os movimentos do mercado.

Na carta aos accionistas de 2014, Buffet escreveu: “como não sei como prever com segurança os movimentos do mercado, recomendo que compre as ações da Berkshire unicamente se espera mantê-las por, pelo menos, cinco anos. Aqueles que procuram lucros a curto-prazo devem fazer outros investimentos”.

Ninguém pode prever com consistência os movimentos do mercado a curto prazo, no entanto, é mais fácil prever com precisão os movimentos do mercado durante longos períodos. A longo prazo, os preços das ações têm, historicamente, subido, podendo assim presumir ganhos a longo prazo se investir em negócios sólidos.

2. Agricultura no geral

Buffett afirmou na carta de 2013 que não sabia absolutamente nada sobre a agricultura, mas mesmo assim comprou uma propriedade de 400 hectares em 1986 sem saber como geri-la.

O seu filho tinha alguns conhecimentos na área, e ajudou Buffet a estimar os potenciais riscos e recompensas do investimento, que terminou, como muitos dos seus investimentos, a revelar-se como boa escolha a longo prazo.

Porque é que o desconhecimento do magnata sobre a agricultura contribui para a performance dos investidores comuns? Para esclarecer que um investidor não tem que entender tudo sobre um negócio para que seja uma escolha de investimento inteligente – não há necessidade de conhecer todos os detalhes para obter uma compreensão do quadro geral.

3. Respostas a questões importantes

Depois do furacão Katrina ter atingido em 2005 os EUA e do aparente aumentou do número de catástrofes naturais similares, Buffet escreveu que, nem ele, nem os responsáveis das segurados sabiam a resposta a “todas as questões importantes”, referindo-se à questão que lhe era posta sobre se a actividade de tempestades continuaria.

O que se aprende aqui é a forma como o multimilionário lidou com o facto de não saber a resposta. Buffet escolheu comportar-se com cautela, aumentando as apólices e limitando a exposição agregada, no entanto, os investidores devem estar atentos ao facto de Buffet não ter abandonado um negócio rentável somente com base nos contratempos que surgiam na data.

Devido à falta de conhecimento e imprevisibilidade dos acontecimentos, os investidores devem tomar medidas que minimizem os risco, por exemplo através da diversificação entre múltiplas acções e indústrias no entanto, o sucedido investidor alerta que não se devem perder boas oportunidades por causa da imprevisibilidade dos factores.

4. Desconhece uma administração que esteja alinhada com os interesses dos accionistas

Buffet afirmou em 2005 que não conhecia nenhuma administração no país em que “os interesses da financeiros dos directores estivessem completamente alinhados com os dos accionistas” como estão na Berkshire.

Mas, porque é que esse facto é relevante para os investidores que não possuem títulos da Berkshire?

Segundo Buffet, é uma boa ideia estar atento à administração das empresas em que se possui acções pois o comportamento dos mesmos pode ter uma grande influência na rentabilidade dos investimentos.

Na carta anual de 2004, o multimilionário mencionou o caso de uma empresa que afastou uma aquisição já aprovada pela administração e que beneficiaria em muito os accionistas, no entanto os investidores nem tiveram conhecimento de tal aquisição. Buffet não sabe porque é que os administradores desistiram da oferta, mas sabe que na reunião onde foi votado o afastamento da aquisição, foi também votado um aumento dos honorários dos diretores. O conselho é então investir em empresas que reflictam algumas das características da Berkshire, em que os directores detêm participações significativas na empresa, sendo o honorário como director uma porção inferior àquela que recebe enquanto accionista.

5. Quanto é que os seus investimentos renderão no próximo ano, ou mesmo no próximo trimestre

Warren escreveu aos accionistas da sua companhia em 2002 que, “não só desconheço o quanto o meu negócio renderá no próximo ano, como desconheço o que renderá no próximo trimestre. Para mim são suspeitas as afirmações dos CEO’s que dizem saber o que se vai passar no futuro e, consistentemente alcançam o proposto. CEO’s que garantem “alcançar tal número” poderão um dia ser tentados a “criar os números”.

O que Buffet quer dar a entender é que as estimativas são apenas estimativas e as decisões dos investidores não se devem basear exclusivamente nelas.



Mais notícias