O Filho – Philipp Meyer: A saga épica de uma família texana

Foi com esta obra épica, com 640 páginas, que Meyer foi finalista do prémio Pulitzer.

Agora em livro, a história que inspirou a história que se desenrola na televisão, no canal AMC, numa dezena de episódios protagonizados por Pierce Brosnan, que já foi James Bond e que agora é Eli McCullough, a grande força por trás de uma família texana, que vive os dramas e a crueza do processo de domesticação ou destruição do oeste selvagem.

“O Filho”, o romance de fôlego escrito por Philipp Meyer, começa com citações de “A História do Declínio e Queda do Império Romano”, de Edward Gibbon, e a ideia de como os desígnios da fortuna podem deitar abaixo os maiores feitos mais grandiosos da capacidade humana.

O que se conta é a história de uma família do Texas, abrangendo quase dois séculos de vida orgulhosa e seis gerações, de ascensão, declínio e queda. Poder, sangue, terra e petróleo, desde os ataques dos índios Comanches, na fronteira, no início do século XIX, até ao crescendo do uso do petróleo e da multiplicação da riqueza criada pelo ‘ouro negro’, no século XX.

Foi com esta obra épica, com 640 páginas, que Philipp Meyer foi finalista do prémio Pulitzer para ficção, em 2014, que acabou por ser conquistado por “O Pintasilgo”, de Donna Tartt. Este é o segundo livro de Philipp Meyer, depois de “Ferrugem Americana”, publicado em 2009, também um trabalho de fôlego.

Meyer é natural de Baltimore. Depois do liceu foi voluntário num centro para vítimas de trauma e, mais tarde, frequentou a Cornell University, onde se licenciou em estudos Ingleses. Foi membro do Michener Center for Writers em Austin, Texas. Vive no Texas e em Nova Iorque. O livro é editado pela Bertrand Editora.



Mais notícias