O apelo de Tony Blair: Levantem-se e protestem contra o “Brexit”

Ex-primeiro-ministro britânico afirma que as verdadeiras implicações do Brexit não foram totalmente conhecidas e que "à medida que estas se clarificam, é um direito mudar de ideias".

Neil Hall/REUTERS
Neil Hall/REUTERS

Tony Blair, antigo primeiro-ministro britânico, pede aos cidadãos britânicos que se juntem e protestem contra a saída do Reino Unido da União Europeia (UE). O ex-líder do Partido Trabalhista defende que as verdadeiras implicações do Brexit não foram totalmente conhecidas e que “à medida que estas se clarificam, é um direito mudar de ideias”.

Esta será a primeira vez, desde os resultados do referendo de 23 de junho que deu vitória ao Brexit, que Tony Blair fará um discurso público. O ex-primeiro-ministro discursará esta sexta-feira diante de um grupo de apoiantes da permanência do país, Europa Open Britain, e, segundo o jornal britânico ‘The Guardian’, é esperado que peça ao povo que se insurja contra a saída do Reino Unido “da maior união política e do maior mercado económico”.

“O nosso desafio é expôr implacavelmente o custo real [do Brexit] para que se possa entender quais os reais custos da saída da UE e para que se possa encontrar uma saída para a atual corrida para o abismo”, dirá Tony Blair, segundo avança o ‘The Guardian’. “Não sei se conseguimos, mas sei que enfrentaremos o rancor das gerações futuras se não o tentarmos”.

Numa altura em que a primeira-ministra britânica, Theresa May, declara guerra aberta contra quem está a tentar “negar a vontade do povo”, Tony Blair pedirá aos apoiantes da permanência da União Europeia que se levantem “em defesa do que acreditamos”. O deputado trabalhista acredita que através de uma ação conjunta o Brexit pode ser travado.

“Temos orgulho em pertencer a um país que acredita que, no século XXI, devemos manter a nossa aliança com a maior união política e maior mercado económico que fica mesmo à nossa porta. Não para diminuir o nosso interesse nacional, mas para o satisfazer”, afirma.

O Governo de Theresa May planeia ativar o artigo 50º do Tratado de Lisboa até março, dando início às negociações em torno da saída do Reino Unido da União Europeia. As negociações devem estar concluídas no prazo de dois anos.

 

 

 

  • al

    Entao o povo votou na saida e agora estes expertes “camaradas” querem virar isto ao contrario ?? Entao qual e o ponto de se ir votar ?? Entao mas nos (o povo) somos agora um bando de MACACOS ???

    • Revoltado

      É essa começa a ser a outra ponta da criminalidade de colarinho branco…quer dizer colocam as pessoas a votar…mas depois senão for a cor deles…querem voltar ao ponto de partida…esta era a ponta da corrupção que ainda faltava…começa agora a ser descoberta…malandros…vigaristas..

  • Revoltado

    Para quê? para depois continuarem a ser os mesmos a mamar? engraçado que eles só nos pedem para nos levantarmos e apoiar isto e aquilo….só quando tem interesses…..quando é para combater corruptos e ladrões que destroem a vida das pessoas….é um silêncio do karalho…parece que todos tem culpas…ou tem vergonha?

  • al

    Entao quem esta contra a mundanca do sistema que vem controlando este mundo nos ultimos 70 anos ?? como e possivel que USA 70 anos depois ainda tenham posicoes militares na Europa no Japao e a volta do mundo ?? Entao mas a quem tem interesses nesta OCUPACAO ??? Entao mas quem medo dos PAPOES do passado ??? Entao porque continuam a tratar os povos dos Paises como semdo um grupo de MACACOS ??? Entao mas as pessoas nao teem cerebro para pensar por eles ??? Entao eu vou a casa de banho aqui deste lado do Mundo e no segundo depois toda a gente a volta do Mundo sabe disso !!! Entao a quem “protege” este sistema montado pelos USA a 70 anos ???

    • Ainda há Velhos no Restelo

      O reforço das posições militares americanas na Europa foi a pedido da Nato após a ocupação da Crimeia pelos russos…. Não gosto de ter militares americanos por aqui mas gosto ainda menos de ver os russos a invadir território de um país soberano europeu e o resto da Europa a dizer que não há nada que possa fazer…. Entre uma coisa e outra, que venham os americanos..

  • alySSa #5

    se querem fazer parte da UE, mudem-se para um país membro, mas respeitem o voto da maioria.

  • AntiLib (Ex. Eu)

    FdP!

  • Ainda há Velhos no Restelo

    O povo que se levante contra a vontade do povo????? Esta mania recente de que a democracia só é democracia se o povo nas urnas der ouvidos aos iluminados intelectualoides deixa-me perplexo…

  • Comentador

    Os ingleses já há muitos anos que se deviam ter levantado e protestado mas era contra todos os residentes no seu país, alguns ilegais, que provocam a destruição, cometem atentados, não aprendem a língua, exigem todos os subsídios, marcham nas ruas a gritar pela sharia… se os ingleses tivessem protestado há muitos anos talvez agora não houvesse o brexit. Blair já vem tarde.