“Nunca houve ocultação nem a mínima intenção de fugir aos impostos”, reafirma Cristiano Ronaldo

O jogador português afirmou em comunicado o que já tinha garantido ao fisco espanhol: "jamais ocultei algo"

Cristiano Ronaldo afirmou, hoje, perante o Tribunal de Instrução nº1 de Pozuelo de Alarcón que “nunca” foi “ocultado nada” ou teve sequer “intenção de fugir aos impostos”, segundo noticia o espanhol EFE.

“O Tesouro espanhol tem acesso detalhado a todas as minhas finanças, pois foram-lhes entregues; jamais ocultei algo, nem tenho intenção de fugir aos impostos”, realçou o futebolista português em comunicado à imprensa.

Ronaldo foi hoje ouvido, à porta fechada, pelas 11h30 locais (10h30 em Portugal), na sequência da acusação feita pelo Ministério Público, em que o internacional português é suspeito de ter defraudado o fisco espanhol entre 2011 e 2014, em cerca de 14,7 milhões de euros, relativos a rendimentos de direito de imagem.

O jogador do Real Madrid é acusado de ter criado uma sociedade, cometendo quatro alegados delitos: 1,39 milhões em 2011, mais 1,66 milhões em 2012, a que se juntam 3,2 milhões em 2013 e 8,5 milhões em 2014. Na queixa é acrescentado que estes crimes foram cometidos de forma “voluntária” e “conscientes”.






Mais notícias