Número de refugiados atinge recorde

Segundo a ONU, registaram-se 65,6 milhões de deslocados e refugiados no ano passado.

No ano passado houve 65,6 milhões de pessoas forçadas a abandonar as suas casas devido a conflitos, violência ou perseguição, segundo revelou esta segunda-feira o alto-comissário das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), Filippo Grandi, na apresentação do relatório anual daquela agência da ONU.

Citado pela Lusa, o responsável indicou que “o número global de 65,6 milhões reflete um ligeiro aumento face aos 65,3 milhões” de 2015”. Dois terços são deslocados internos no seu próprio país. A Síria, Iraque e Colômbia representam os principais focos destes 40,3 milhões de deslocados.

Há depois 22,5 milhões de refugiados que procuraram outro país, e neste caso trata-se do valor mais elevado de sempre, em grande parte devido à situação na Síria.

Este conflito começou em 2011 e continua a ser a maior fonte de refugiados (5,5 milhões no total). Segundo o ACNUR, verifica-se também uma rápida deterioração da situação no Sudão do Sul.

Mais notícias