Novo medicamento pode travar Alzheimer, Parkinson e demência

Equipa de investigação espera começar os ensaios clínicos brevemente e chegar a uma conclusão no prazo de dois, três anos, noticia a BBC.

Uma equipa de cientistas britânicos descobriu um composto que acreditam ser capaz de impedir que doenças como Alzheimer, Parkinson e demência se desenvolvam nos pacientes.

Giovanna Mallucci, professora da Unidade de Toxicologia do Medical Research Center, instituto responsável pela investigação, espera começar os ensaios clínicos brevemente e chegar a uma conclusão no prazo de dois, três anos, noticia a BBC.

“É realmente emocionante”, disse a professora. “É improvável que se cure completamente [as doenças], mas travando a progressão, a doença de Alzheimer torna-se algo completamente diferente, sendo possível viver melhor apesar dela”, salienta. No entanto, e apesar de confiante que a investigação está ‘no caminho certo’, alerta para a necessidade de aguardar pelos resultados testados.

“Como um profissional, médica e cientista, devo aconselhar as pessoas a esperar pelos resultados”.

O composto que visa proteger o cérebro das doenças neurodegenerativas foca-se nos mecanismos de defesa naturais incluídos nas células cerebrais

A equipa de investigação testou mais de mil drogas e duas delas, a trazodona e a DBM, tiveram capacidade de proteger as células humanas, “ambas eram altamente protetoras e impediram défices de memória, paralisia e disfunção de células cerebrais”, disse Giovanna à emissora.

A Trazodona já é utilizada em doentes com depressão e a DBM tem sido testado em doentes com cancro.



Mais notícias