NOS entra nas ‘balas de prata’ do Haitong, Sonae e CTT mantêm posição

A lista preferencial do banco de investimento distingue as cotadas da Península Ibérica com potencial de subida em bolsa.

Cristina Bernardo

Na última revisão tinha saído e agora voltou a entrar. A NOS regressou à categoria de “Balas de Prata Ibéricas” do Haitong. A lista preferencial do banco de investimento distingue as cotadas da Península Ibérica com potencial de subida em bolsa. Entre as portuguesas, os CTT e a Sonae SGPS mantiveram as posições, na avaliação para o terceiro trimestre do ano, comunicada esta quinta-feira.

Sobre a inclusão da NOS na lista, o Haitong salienta que a telecom começou o ano de forma dececionante, “a entrega operacional da NOS é fundamental para restaurar a confiança”, em parte por ter falhado em realizar o Dia do Investidor, em que dá feedback a investidores e analistas sobre o negócio e perspetivas.

“Os resultados do primeiro trimestre foram um passo na direção certa e esperamos que o segundo trimestre consolide ainda mais esse caminho, com a melhoria das tendências de receita e EBITDA, subestimando os sólidos fundamentos da NOS”.

A Sonae manteve-se como ‘bala de prata’ já que o banco de investimento estima que a retalhista melhore de forma acentuada a rentabilidade, tanto nos setores eletrónicos como de mode e desporto, levando a uma recuperação no EBITDA.

No caso dos CTT, o Haitong considera que tem sido “demasiado penalizado por um momentum pior em 2016 que deverá reverter-se no final de 2017 com a recuperação do E&P e o aumento dos preços do correio”. Entre as empresas espanholas, a Indra mantém-se na lista, enquanto a Ebro Foods e a Hispania são novas adições.



Mais notícias