NASA quer enviar a nave espacial mais rápida de sempre ao Sol

A missão tem um custo estimado de 1,5 mil milhões de dólares.

No próximo ano, a NASA vai dar mais um passo em prol da investigação da maior estrela do sistema solar. A agência espacial americana vai lançar uma sonda para a atmosfera externa do Sol, e que deverá melhorar significativamente a informação sobre a “temperatura espacial” e seu risco para satélites, redes elétricas e telecomunicações, informa a Bloomberg.

Os líderes desta missão soalheira reuniram-se e na Universidade de Chicago esta quarta-feira para apresentar o Space Probe Plus e dar-lhe o novo nome de Parker Space Probe, em homenagem a Eugene Parker, a cientista desta faculdade que em 1958 colocou a hipótese da existência de vento solar, uma ideia pela qual na altura foi completamente gozada – até a sonda Mariner 2 confirmar que era verdadeira, anos mais tarde.

A agência noticiosa refere que, apesar das décadas de investigação sobre o tema, os críticos consideram que ainda existem lacunas pedagógicas que impedem que cientistas possam prever e identificar tempestades solares com a precisão necessária para evitar danos e custos tecnológicos.

O principal objetivo da Space Probe Plus é procurar responder a esse ‘buraco’ no conhecimento académico e a questões-chave sobre a física solar, como “de que forma é que o vento solar começa?”. Além desta dúvida, os cientistas da NASA querem analisar a superfície do sol e os seus 10 mil graus Fahrenheit.

“É uma espécie de água que vai subindo. Não devia acontecer isso”, afirmou Nicola Fox, professora do Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins, onde a sonda está a ser montada e testada. A missão tem um custo estimado de 1,5 mil milhões de dólares.





Mais notícias