“Não está à altura”: Parlamento Europeu não esquece Dijsselbloem

Recentes afirmações do presidente do Eurogrupo voltaram a ser alvo de críticas durante um debate sobre a crise grega no Parlamento Europeu. Jeroen Dijsselbloem não marcou presença.

A eurodeputada Maria João Rodrigues (PS) salientou que as palavras do presidente do fórum informal dos ministros das Finanças da zona euro “refletem uma a solução errada para resolver esta crise”.

“Alguns Estados-membros foram profundamente atingidos por esta crise não pela razão simplista de indisciplina orçamental e económica mas sobretudo porque foram expostos à violência da crise financeira sem que a União Económica e Monetária estivesse preparada para os defender”, salientou.

Por seu lado, José Manuel Fernandes (PSD) sublinhou que as afirmações de Dijsselbloem são “inaceitáveis” e “maniqueístas”.

“Não há, de um lado, os puros e, do outro, os pecadores, os do norte e os do sul, os contribuintes líquidos e os beneficiários líquidos. Somos todos europeus”, disse o deputado.

A deputada europeia socialista considerou ainda que Dijsselbloem “não está à altura de ser presidente do Eurogrupo”, enquanto o social-democrata assinalou a “irresponsabilidade” de quem “não percebe os enormes sacrifícios feitos pelos povos que tiveram programas de ajustamento”.

PUB
PUB
PUB