Mota-Engil cria joint venture para concorrer a obras na Nigéria

A Mota-Engil África e a Shoreline celebraram hoje um acordo para a constituição de uma parceria para operar na Nigéria, assinalando a entrada do grupo português naquele mercado.

Mario Proenca/Bloomberg

Em comunicado hoje divulgado, a Mota-Engil adianta que a ‘joint-venture’ (parceria) terá a designação Mota-Engil Nigeria Limited e será detida em 51% pela Mota-Engil África e em 49% pela Shoreline, um conglomerado africano com base na Nigéria. O presidente da nova empresa será o emir de Kano.

“A Mota-Engil Nigéria terá como foco da sua atividade a execução de contratos de construção, ambicionando tornar-se um operador de referência neste setor, tendo por objetivo concorrer aos principais concursos de infraestruturas e construção a ocorrer nos próximos anos na Nigéria”, lê-se no comunicado.

Os acionistas da Mota-Engil Nigéria “perspetivam ainda diversificar investimentos e, assim, fortalecer e desenvolver as relações existentes com os seus parceiros e clientes, procurando potenciar as suas forças combinadas em outras áreas de negócio como a gestão e tratamento de resíduos, podendo assim alavancar o conhecimento e experiência e maximizar o potencial da empresa”, segundo a mesma fonte.

O acordo foi celebrado durante a Conferência EurAfrican, que decorreu no Centro de Congressos do Estoril.

Para o presidente executivo da Mota-Engil África, Manuel Mota, a celebração do acordo “é o culminar de vários meses de conversações entre as empresas para a concretização do que se pretende que seja um relacionamento frutífero para atuar num mercado com uma preponderância determinante no desenvolvimento do continente africano”.

Já Kola Karim, fundador e presidente executivo da Shoreline Group, citado em comunicado afirmou-se satisfeito com esta parceria e com o facto de “começar a trabalhar em novas oportunidades de negócio na Nigéria”.

“A Mota-Engil é um construtor e operador de infraestruturas e indústrias associadas de nível mundial. Por essa razão, estamos muito entusiasmados por trazer essa capacidade para o mercado nigeriano. A nossa ambição é a de desenvolver projetos de engenharia e construção de dimensão em todo o país”, disse.

Adicionalmente, acrescentou, “iremos procurar identificar e participar em projetos de concessões de acordo com as iniciativas público-privadas que venham a ser lançadas”.

A Mota-Engil está presente em 28 países e apresenta-se como uma das 30 maiores construtoras europeias

Em África, o grupo está presente em 14 países, contando com uma carteira de encomendas na região de mais de 2,5 mil milhões de euros, tendo, em 2017, atingido uma faturação de 860 milhões de euros.

A Shoreline Group tem investimentos na indústria de Oil & Gas [petróleo e gás], energia, engenharia e construção, telecomunicações e ‘trading’, tendo investimentos noutros países africanos, como Angola, Uganda, Quénia, Gana e Libéria, assim como na Europa (França, Alemanha e Reino Unido) e na Ásia.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB