Montiqueijo com 5% das vendas no exterior

Empresa familiar do concelho de Loures está a estudar mercados na Europa e a negociar exportações para a Ásia, enquanto continua a investir no ambiente.

A Montiqueijo, empresa familiar produtora de queijos frescos e curados de vaca, assim como de requeijão, encerrou o ano passado com uma faturação de 6,4 milhões de euros, um crescimento de 21% face ao volume de negócios conseguido no ano precedente. Para este exercício, segundo as declarações de Dina Duarte, diretora-geral da Montiqueijo, ao Jornal Económico, os objetivos da empresa passam pela subida em 10% na faturação, o que, a concretizar-se, irá elevar este patamar para mais de sete milhões de euros.

No entanto, o grande objetivo da Montiqueijo em termos de vendas para o ano em curso, é passar de exportações que no final de 2016 valiam cerca de 1% do volume de negócios da empresa para um total de 5, ou seja cerca de 350 mil euros de vendas nos mercados externos.

“Neste momento, ainda vendemos cerca de 99% dos nossos produtos no mercado interno, de norte a sul e nas ilhas, essencialmente na Madeira, através dos canais discounts, HORECA [hotelaria, cafetaria e restauração] e do comércio tradicional. O processo de internacionalização da Montiqueijo só foi iniciado no ano passado, mas temos grandes perspectivas de amadurecer esse trabalho com o aumento de exportações para mercados como a Inglaterra, França, Bélgica e Polónia”, defende Dina Duarte, filha dos fundadores desta empresa.

Segundo a diretora-geral da Montiqueijo, “estamos numa fase de namoro muito intenso, mas mais difícil, com a Ásia e também em negociações para exportar para a Espanha e com a Suíça. São situações em que podemos arrancar a qualquer momento”.

“A Montiqueijo foi criada em 1963 pelos meus pais. Sempre foi uma empresa familiar, de típicos ‘saloios’, que vinha distribuir os produtos naturais dos arredores da capital aos lisboetas no centro da cidade”, explica Dina Duarte. Com o evoluir do tempo, a empresa foi modernizando-se. Com as exigências impostas pela nossa adesão à Comunidade Europeia, em 1997, “a Montiqueijo deu um grande salto e passou a apostar cada vez mais na especialização”.

Outra das características da atuação da Montiqueijo é a preocupação com o ambiente e com os consumidores, assim como com os colaboradores e com as relações externas. “Em 2010, demos mais um passo ar rojado, retirámos o cincho, a embalagem de plástico que guarnecia o queijo, e começámos a embalar o queijo hermeticamente fechado. E por questões de segurança alimentar, começámos a colocar as impressões e a toda a comunicação sobre o produto fora da embalagem. Esta medida reduziu substancialmente a utilização a um recurso poluente como o plástico, com uma redução e utilização de 50 toneladas por ano”, garante Dina Duarte, acrescentando que, neste momento, essa poupança já é superior.

“Também nesta linha, decidimos avançar em 2014 com a instalação de um parque fotovoltaico, no alto da serra da Lousa, que tem uma excelente exposição solar, e que nos permitiu a redução a nossa fatura com a energia em cerca de 30%. Neste momento, fazer um novo investimento, previsto de cerca de 40 mil euros, para aumentar a central fotovoltaica e conseguir uma redução total de cerca de 40% da fatura energética face ao que pagámos antes de arrancarmos com este projeto”, revela a diretora-geral da Montiqueijo.

Dina Duarte destacou que a empresa está neste momento a fazer um estudo de eficiência energética, para saber quais as melhores utilizações e aplicações para fontes de energia no sentido de racionalizar os nosso custos energéticos e de encontrar meios alternativos de energia. “Também na nossa quinta de animais, em Canha, no concelho do Montijo, instalámos um parque fotovoltaico, em que estamos a poupar 30% face à fatura energética anterior, que serve para a utilização nas regas e para montar um circuito fechado para reduzir o consumo de energia hídrica, em particular no circuito de lavagens e também na reutilização do subproduto do soro, que é bastante poluente, na totalidade para alimentação dos animais”, esclarece Dina Duarte.

A diretora-geral da Montiqueijo revela ainda que a empresa está a projectar arrancar com um novo investimento para expansão da atividade, na unidade de produção de leite, um projeto de quatro milhões de euros.

Mais notícias
PUB
PUB
PUB