Ministra da Administração Interna: “Não, não vou pedir a demissão”

Um dia depois de terem sido publicados os resultados do relatório da comissão independente sobre os incêndios que deflagraram em Pedrógão Grande, Constança Urbano de Sousa reforçou a ideia de que não abandonaria o cargo.

A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, disse esta sexta-feira de manhã que não iria sair do Governo: “Não, não vou pedir a demissão”. Numa audição na Assembleia da República, um dia depois de terem sido publicados os resultados do relatório  da comissão independente sobre os incêndios que deflagraram em Pedrógão Grande, a ministra reforçou a ideia de que não abandonaria o cargo.

A responsável pela pasta da Administração Interna garantiu que foi “há menos de 24 horas que recebemos este relatório produzido por uma comissão técnica independente, proposta pelo PSD e a que todos deram o seu total apoio, incluindo o Executivo”.

Por isso, Constança Urbano de Sousa considera que estar a debater um relatório desta dimensão, profundidade e complexidade neste período de tempo após ter sido conhecido não poderia ser um debate correto, acrescentando que isso seria “manifestamente pouco sério”.

No debate desta manhã, o PSD pediu por várias vezes que o Governo peça desculpas aos portugueses sobre o que aconteceu em junho passado em Pedrógão Grande, com o CDS-PP a pedir a demissão de Constança Urbano de Sousa.

“Para mim, constitui um desrespeito para com a comissão técnica independente e também constitui um desrespeito para com os deputados que marcaram para dia 27 um debate sobre esta matéria”, explicou, por sua vez, a governante, no Parlamento, caracterizando as conclusões divulgadas pelos meios de comunicação social como “parágrafos avulso e descontextualizados”.





Mais notícias